Ensaios

Individualismo, desigualdade e solidão

É nos países mais desiguais que as pessoas mais acreditam na meritocracia. É onde há maiores diferenças entre ricos e pobres que encontramos mais pessoas a aceitarem que o mundo é justo e que com esforço qualquer um consegue chegar ao sucesso.

Ação afirmativa num mundo académico pós-modernista/neomarxista

Hoje em dia, os chamados “progressistas” estão a tentar voltar a categorizar os indivíduos e a sociedade. Defendem a política de identidade, de maneira a alcançar o seu objetivo supremo, a justiça social.

A flauta de Hamelin

O presente foi privilegiado em detrimento do futuro, criando menos perspetivas para as próximas gerações, e perdeu-se a oportunidade de investir mais aproveitando um ciclo de taxas muito baixas a nível global.

Educar na cultura: um rumo para a vida

Há números reais que assustam e custam a aceitar. Como os mais de 150 milhões de migrantes que deixaram os seus países de origem e os 38% de adultos e jovens que nunca leram um livro.

Do lado de cá

Quando caímos no erro de desumanizar aquele que caracterizamos como o outro, eliminamos o único recurso que nos permite partilhar um local, uma sociedade, um país ou mesmo o planeta: o diálogo.

A urgência de religar

Depois de laicizarmos a religião de tantas formas que nos tornaram crédulos ao ponto da incapacidade para a ação, o importante seria fazermos acontecer outro regresso, do ‘religare’, especialmente se fosse de uma forma secularizada.
Ver mais artigos