Extreme Sailing Series: da Madeira para o Mundo

O Funchal recebe, na próxima semana, uma das mais importantes competições da vela mundial. A prova com um retorno mediático estimado em 9,4 milhões de euros investe 95% do seu orçamento (avaliado em 250 mil euros) na capital madeirense.

A capital madeirense volta a estar na rota da Extreme Sailing Series, uma das mais importantes competições da vela mundial. Pelo segundo ano consecutivo, a baía do Funchal será palco da etapa portuguesa desta prova que se disputa entre 29 de junho e 2 de julho.

Ao Centro Náutico de São Lázaro, começaram já a chegar as primeiras embarcações, encetando-se os preparativos para receber as 6 equipas que integram a terceira etapa das Extreme Sailing Series, depois de concluída as passagens por Muscat (Omã) e Qingdao (China). O circuito segue depois para Hamburgo (Alemanha), Cardiff (País de Gales), San Diego (EUA) e Los Cabos (México).

Fortemente elogiada pela OC Sports, a empresa detentora do circuito, a etapa madeirense assume um impacto mediático de extrema importância para a Região que alcançou, no ano passado, uma notoriedade sem precedentes e um retorno mediático avaliado em 9,4 milhões de euros.

A competição já ‘mexe’ com a economia regional. São mais de 250 pessoas envolvidas na organização desta etapa que – sublinha Sérgio Jesus, presidente Associação Regional de Vela da Madeira – coloca o arquipélago na rota de segmentos de turismo e de investimento de outra forma dificilmente atingíveis, caso dos mercados asiáticos.

“Um evento destes é uma aposta arrojada que permite à Madeira projetar-se junto de mercados e a uma escala que um destino como o nosso nunca conseguiu atingir”, refere.

Ao impacto mediático acresce a vertente económica. Sérgio Jesus adianta que 95% do orçamento do caderno de encargos, avaliado nos 250 mil euros, é executado com recurso a fornecedores regionais.

“É um valor interessante para a Região e se somarmos a isso os gastos dos participantes e espetadores aquando da sua estadia na ilha, facilmente concluímos sobre a importância desta etapa cujo retorno mediático tem uma magnitude impressionante”, afirma Sérgio Jesus.
Este ano, a etapa madeirense da Extreme Sailing Series tem como novidade a aliciante estreia planetária dos Flying Phantoms, catamarãs super velozes e leves (pesam apenas 165 kg), para dois tripulantes e Portugal terá uma equipa formada por José Caldeira e pelo madeirense Hélder Basílio.

Outra novidade é a organização proporcionar aos espetadores a possibilidade de vivenciarem experiências de vela, a bordo de embarcações de vela ligeira, da classe J22.

A Madeira prepara-se para ‘levantar voo’ naquela que é uma das mais importantes competições da vela mundial. Eduardo Jesus, secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, já avisou que o grande desafio passa por “superar as expetativas e o alcance de 2016”.

Ler mais
Recomendadas

Arranca hoje a corrida do FC Porto pela Champions de olho em encaixe de 44 milhões

Sérgio Conceição e os seus homens estão a, pelo menos, 360 minutos de distância de poderem engordar a conta bancária dos azuis e brancos de forma generosa. Este encaixe financeiro é visto como fundamental pela SAD portista. 

Benfica celebra parceria com Placard por três anos

O Sport Lisboa e Benfica acaba de celebrar uma parceria com o Placard.pt que, nos próximos três anos, será o patrocinador oficial de apostas desportivas do clube. Segundo um comunicado do clube da Luz, “o Placard.pt marcará presença relevante tanto no ‘site’ oficial, como nas várias plataformas digitais do Benfica, sendo que ambas as entidades […]

Estádio do Estrela da Amadora na Reboleira vai a leilão por seis milhões de euros

No decorrer de um processo de insolvência do Estrela da Amadora, foi fundado um novo clube, o Clube Desportivo Estrela, que usa as instalações da Reboleira.
Comentários