244 mil m2: este é o maior projeto imobiliário em curso na cidade de Lisboa

Com assinatura do arquitecto Renzo Piano, Prémio Pritzker 1998, é considerado o maior projeto imobiliário em construção em Lisboa.

Frente ao Tejo, na freguesia de Marvila, junto ao Parque das Nações está a ser construído o tão esperado projeto do arquiteto Renzo Piano, que aguardou décadas para ser desenvolvido. Com um total de 499 fogos e 244 mil m2 de área bruta de construção, João Brion Sanches, Presidente da NORFIN, a entidade gestora do fundo promotor – a Lisfundo – que está a desenvolver o projeto, refere que “do ponto de vista da Norfin era muito interessante ‘pegar’ num projeto destes. Na prática, os dois bancos financiadores do projecto – a CGD e o Novo Banco – convidaram a Norfin para gerir o projeto no final de 2013 e para nós foi um desafio irrecusável”.

O responsável lembra que não se está a falar de mais um condomínio, “é de um Bairro novo dentro de Lisboa. Mais de 244 mil m2 de construção, estruturas viárias, infraestruturas de esgotos, infraestruturas eléctricas e muitas outras obras. Tudo isso se foi fazendo em paralelo com a construção do 1.º lote com 28 apartamentos que está agora totalmente construído e, também, quase completamente vendido. Agora vamos arrancar com a construção do 2.º lote”.

O sucesso do projeto é evidente quando João Brion Sanches revela que dos 28 apartamentos só restam dois para venda, e que já têm inclusive, um potencial comprador. Os preços variaram entre os 600 mil euros e os dois milhões.

Em relação aos compradores, 50% são nacionais e 50% estrangeiros. “Os portugueses acham que o Living Prata dispõe de uma localização ímpar e que a qualidade do projeto assinado pelo célebre arquiteto Renzo Piano justifica esta compra. E temos estrangeiros, desde brasileiros, ingleses, chineses, que também se entusiasmam com este projeto”, esclerece o responsável.

Quanto ao facto deste sucesso na procura deve-se, na opinião do presidente da NORFIN, a uma boa relação Preço/Qualidade. “O Prata Living Concept oferece aquilo que eu penso que é um atributo muito requisitado hoje em dia, que é um urbanismo bem organizado e planificado”, acrescenta. A próxima fase consiste na construção de 12 lotes e um pequeno comercial. “O que propomos é começar a construir mesmo antes de estarem 50% vendidos os apartamentos do lote em construção e, segundo esse calendário, diríamos que teremos o projeto concluído em cinco anos. O que para nós era o ideal”, conclui João Brion Sanches.

Recomendadas

Três Dolce Vita colocados à venda por 15 milhões de euros

Em todos os casos, caso não hajam ofertas superiores ao valor mínimo, serão admitidas propostas mais baixas.

Savills fica responsável pela gestão do edifício Atlas III

Atlas III, em Miraflores, é o mais recente empreendimento sob a gestão da Savills.

Dona da Comporta estuda “projeto estratégico” a preços acessíveis no Parque das Nações

A Vanguard Properties quer construir três prédios no total, com o valor do investimento a rondar os 30 a 35 milhões de euros.
Comentários