Abandono de carros na rua pode disparar

A associação ambientalista Quercus alertou hoje para o previsível aumento do abandono de carros na rua caso seja aprovada a isenção de imposto para estes veículos prevista na proposta de Orçamento do Estado para 2015. A proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano, que se encontra em discussão na especialidade no parlamento, prevê […]

A associação ambientalista Quercus alertou hoje para o previsível aumento do abandono de carros na rua caso seja aprovada a isenção de imposto para estes veículos prevista na proposta de Orçamento do Estado para 2015.

A proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano, que se encontra em discussão na especialidade no parlamento, prevê que os automóveis abandonados na via pública deixem de pagar Imposto Único de Circulação (IUC), medida que, para a Quercus, fará regressar o abandono de automóveis e premiará quem abandonar o carro.

“A proposta de Orçamento do Estado para 2015 contém uma alteração ao Código do IUC que visa isentar do pagamento deste imposto os veículos que forem abandonados, o que é um enorme retrocesso na política ambiental do país”, considerou a Quercus, em comunicado.

A associação ambientalista lembrou que, atualmente, “o IUC é devido até a matrícula ser cancelada” o que, segundo a Quercus, tem funcionado como “um fator dissuasor muito importante” e permitiu “reduzir drasticamente este problema no país”.

“A medida agora proposta é incompreensível porque desresponsabiliza as pessoas pelo abandono dos seus carros, fazendo disparar os custos que os municípios têm com a remoção destes veículos da via pública, diminuir o número de locais disponíveis para estacionamento nas nossas cidades e aumentar os focos de poluição e marginalidade”, sustentou.

A Quercus defende ainda que esta isenção de imposto irá “agravar a gestão ilegal de veículos em fim de vida (VFV)” nas sucateiras.

“Sem IUC deixa de existir qualquer entrave para que estas viaturas sejam removidas da via pública por qualquer interessado e desmanteladas em sucateiras ilegais, sem respeito pelo ambiente, não pagando impostos e não criando postos de trabalho sustentáveis”, sublinhou.

A Quercus lembra ainda que existem atualmente inúmeros centros de abate de veículos espalhados pelo país, “onde qualquer cidadão pode entregar o carro gratuitamente, com a garantia que todo o processo administrativo de cancelamento de matricula sera feito e que o veículo será adequadamente reciclado”.

 

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?