Açores: Governo regional estima fecho de 2017 com dívida de 41,6% do PIB

Vice-presidente do executivo açoriano valorizou as “responsabilidades futuras” deixadas pelo executivo com uma dívida pública de “menos de metade da média da União Europeia” e “menos de um terço daquilo que o país tem”.

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores estimou hoje que a região tenha terminado 2017 com uma dívida de 41,6% do Produto Interno Bruto (PIB), sublinhando ser “menos de metade” da média europeia.

“É este valor real que garante a nossa sustentabilidade”, declarou Sérgio Ávila, falando na Horta, na Assembleia Legislativa Regional dos Açores (ALRAA), num debate de urgência pedido pelo BE sobre o setor público empresarial da região.

Frisando que apenas no final do mês o Instituto Nacional de Estatística (INE) apresentará a globalidade dos dados de 2017, o vice-presidente do executivo açoriano valorizou as “responsabilidades futuras” deixadas pelo executivo com uma dívida pública de “menos de metade da média da União Europeia” e “menos de um terço daquilo que o país tem”.

O indicador da dívida pública inclui, entre outros elementos, as contas das empresas do setor público.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários