AEP no Dubai com sete empresas da fileira da casa

A Associação Empresarial de Portugal e sete empresas participam na Feira Index – The Middle East International Furniture, Interiors and Retail, Design Exhibition.

Pela 15ª vez consecutiva a organizar a participação portuguesa na Index, a AEP, Associação Empresarial de Portugal, regressa ao mais importante certame de toda a região do Médio Oriente para a fileira da casa (mobiliário e mobiliário de escritórios, têxteis-lar, pavimentos, iluminação, artigos e acessórios de decoração, cerâmica, vidro, cutelaria, arquitetura e design de interiores), “para proporcionar às empresas uma abordagem aos mercados do Médio Oriente, nomeadamente do GCC – Gulf Cooperation Council – Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Bahrein, Qatar, Kuwait e Omã”, adianta a organização em comunicado.

As empresas que integram a comitiva da AEP são a B. Sousa Dias & Filhos (Têxtil-lar), a Bright-Kitchen (Cutelarias, Têxtil-lar), a CELAR – Alumínios Cesar (Louça metálica e artigos de uso doméstico), a Perpétua Pereira & Almeida (Artigos de ornamentação de faiança, porcelana e grés fino), a FERTINI (Mobiliário e decoração de interiores), a Sorema (Têxtil-lar) e a Têxteis Penedo (Têxtil-lar). Destas, duas, a FERTINI e a Perpétua Pereira & Almeida, já trabalham com contratos de agenciamento locais para os países do GCC.

A Feira Index 2018, que se realiza entre os dias 26 e 29 de março e decorre em simultâneo com a WorkSpace/Surface, tem registado elevadas taxas de crescimento. Em 2017 contou com 845 expositores, oriundos de 42 países, e com 25.415 visitantes profissionais provenientes de 108 países.

“Esta missão é desenvolvida pela AEP, integrada no seu projeto ‘Business On the Way’, no âmbito do Portugal 2020 e Compete 2020, Programa Operacional da Competitividade e internacionalização, Eixo II – Projetos conjuntos – Internacionalização.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários