Aeroporto em Lisboa faz 40 movimentos/hora quando poderia fazer 42/46, considera CEO TAP

A transportadora nacional “tem o maior interesse em que a capacidade do aeroporto aumente” e tem dedicado “seis horas por semana a discutir” a capacidade e como a poder aumentar, revelou Antonoaldo Neves.

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, afirmou hoje que um aeroporto com uma só pista pode chegar entre 42 a 46 movimentos por hora, recordando que a infraestrutura de Lisboa alberga apenas 40 movimentos.

“Um aeroporto com uma pista, em qualquer lugar do mundo, pode chegar de 42 a 46 movimentos por hora, o que seria muito bom. Mas isso é um processo longo e não cabe ao operador aéreo estar a definir qual a capacidade do aeroporto”, afirmou o responsável, depois da apresentação de um novo vídeo de segurança da TAP, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL).

Respondendo aos jornalistas a propósito de críticas da Ryanair de que a TAP estaria interessada em que o aeroporto de Lisboa continuasse limitado, o CEO garantiu que a transportadora nacional “tem o maior interesse em que a capacidade do aeroporto aumente” e tem dedicado “seis horas por semana a discutir” a capacidade e como a poder aumentar.

“A minha frustração hoje é que a gente não pode aumentar a capacidade do aeroporto” de Lisboa, que conta com 40 movimentos por hora.

“Adoraria que fossem 46”, admitiu o responsável, revelando a reunião que vai ter com a empresa gestora dos aeroportos nacionais, a ANA, e com o Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), além dos contactos mantidos com a NAV, responsável pela gestão do tráfego aéreo.

“Eu quero crescer, preciso de crescer, e a TAP sem capacidade [do aeroporto] não vai, número um, ser pontual, e número dois: crescer e entregar o plano estratégico definido”, argumentou.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários