Algures, está um hacker a tentar assaltá-lo através do seu próprio smartphone

Os piratas informáticos (hackers) atacam cada vez mais os smartphones para conseguirem obter informações bancárias que lhes permitam roubar dinheiro às vítimas, conclui um estudo internacional. A maior parte dos utilizadores dos aparelhos visados pelos piratas encontram-se na Rússia, Ucrânia, Espanha, Reino Unido, Vietname, Malásia, Alemanha, Índia e França. Em doze meses, cresceu seis vezes […]

Os piratas informáticos (hackers) atacam cada vez mais os smartphones para conseguirem obter informações bancárias que lhes permitam roubar dinheiro às vítimas, conclui um estudo internacional.

A maior parte dos utilizadores dos aparelhos visados pelos piratas encontram-se na Rússia, Ucrânia, Espanha, Reino Unido, Vietname, Malásia, Alemanha, Índia e França.

Em doze meses, cresceu seis vezes o número de utilizadores de telemóveis com sistema operativo Android que foram alvo de ataques informáticos visando informações bancárias, tendo sido identificados mais 588 mil ataques do que nos 12 meses anteriores, concluiu o estudo realizado em conjunto pela empresa de segurança informática Kaspersky e pela Interpol.

O estudo revela ainda que 60% dos programas utilizados pelos piratas informáticos contra os sistemas Android, entre agosto de 2013 e julho de 2014, tinham sido projetados para roubar dados bancários ou dinheiro.

O estudo incidiu sobre os dispositivos com o sistema operacional Android, que representam 85% do mercado de telemóveis.

“É fácil perceber porque é que os cibercriminosos criam tantas aplicações maliciosas que atacam os aparelhos Android: hoje os smartphones são cada vez mais usados para fazer compras e gerir serviços online”, explicou um dos autores do estudo.

“As aplicações podem ser instaladas através do Google Play ou de aplicações terceiras como a Amazon App. Estas aplicações representam uma ameaça à segurança dos utilizadores que autorizam a sua instalação porque provém de fontes não confirmadas. Podem também levar à instalação no aparelho de aplicações maliciosas sem o conhecimento do utilizador”, acrescenta o estudo.

Os ataques mais frequentes são feitos através das aplicações “Trojan-Banker” e “Trojan-SMS”, que permitem aos piratas acesso às contas bancárias.

 

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.