Alibaba faz história com a maior entrada em bolsa de sempre

O gigante de internet Alibaba encaixou 25 mil milhões de dólares com a oferta pública inicial (IPO) realizada no passado mês de setembro em Wall Street, o que transformou a entrada em bolsa da empresa chinesa na maior da história.   Considerado o principal evento financeiro de 2014, a estreia da Alibaba no mercado bolsista […]

O gigante de internet Alibaba encaixou 25 mil milhões de dólares com a oferta pública inicial (IPO) realizada no passado mês de setembro em Wall Street, o que transformou a entrada em bolsa da empresa chinesa na maior da história.

 

Considerado o principal evento financeiro de 2014, a estreia da Alibaba no mercado bolsista norte-americano superou mesmo os valores registados com a IPO da Visa realizada em 2008 (que encaixou 19,7 mil milhões de dólares) e do Facebook em 2012 (que rendeu 16 mil milhões de dólares). A entrada em bolsa da empresa de comércio online chinesa ultrapassou mesmo o anterior record mundial, estabelecido com a IPO do Agricultural Bank of China, que arrecadou 22,1 mil milhões de dólares quando se lançou em Xangai e em Hong Kong.

 

Fixadas num preço de 68 dólares, as ações da Alibaba dispararam mais de 38% logo no primeiro dia de negociação, atingindo o valor de 92,7 dólares. O colosso asiático alcançou, assim, uma capitalização bolsista de 231,4 mil milhões de dólares, superando mesmo o valor de mercado do Facebook. No sector tecnológico, a empresa fica apenas atrás de gigantes como Google, Apple ou Microsoft. Atualmente, as ações da Alibaba cotam em torno aos 90 dólares. Para os investidores europeus, há varias formas de negociar com exposição à Alibaba, nomeadamente através da plataforma da IG que permite efetuar trading de CFDs sobre ações.

 

Fundada por Jack Ma em 1999, a empresa chinesa controla os mais importantes sites dentro do setor do comércio eletrónico na China: Taobao (um portal semelhante ao eBay) e Alibaba.com, este última uma importante plataforma de e-commerce que conecta importadores e exportadores provenientes de um total de 240 países. A empresa detém ainda uma plataforma de pagamento online, a Alipay, que funciona de intermediário em mais de metade dos pagamentos efetuados na China através da Internet. No seu conjunto, o grupo concentra mais de 80% do mercado de comércio online chinês e conta com mais de 25.000 trabalhadores.

 

O certo é que todos os números associados à empresa sedeada em Hangzhou, na China, são impressionantes. Em 2012 representou 2% do PIB chinês com vendas que superaram os 170 milhões de euros. No ano seguinte, em 2013, este valor disparou para 314 mil milhões de euros, levando a Alibaba a ultrapassar a faturação de portais como eBay e Amazon juntos.

 

Com o comércio online ainda em expansão na China, os analistas preveem que a trajetória de crescimento do gigante chinês possa ainda aumentar. Alguns analistas apontam para um incremento de 50% nos resultados deste ano. De resto, a aposta no mercado internacional (que a entrada em bolsa em Nova Iorque, em vez de Hong Kong, parece demonstrar) poderá tornar a Alibaba num verdadeiro player mundial.

 

2º IG

Esta informação foi preparada pela IG, marca comercial da IG Markets Limited. O conteúdo destas páginas não constitui (e não será concebido de forma a constituir) qualquer espécie de aconselhamento, ou recomendação de investimento, ou um registo dos nossos preços de negociação, ou uma oferta ou solicitação para a transação de qualquer instrumento financeiro. A IG não aceitará qualquer responsabilidade em consequência de qualquer uso que possa ser dado ao referido conteúdo, ou sobre qualquer efeito que daí advenha. Não asseguramos a precisão ou integridade da informação. Consequentemente, qualquer pessoa assume o risco da atividade realizada com base nesta. A análise produzida não tem como finalidade qualquer objetivo de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de quem o consultar. Esta não foi produzida com base nos requisitos legais que promovem a independência da análise financeira e, assim sendo, esta é considerada uma mensagem de marketing. Não estando impedidos de negociar com base nas nossas recomendações, não procuramos retirar qualquer tipo de vantagem da informação providenciada aos nossos clientes. Os CFDs são Produtos Financeiros Complexos. Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e esteja disposto a aceitá-las. Pode Implicar a perda da totalidade ou mais do que o capital investido.

 

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.