Altice afasta despedimento coletivo, diz João Zúquete da Silva

O novo Acordo Coletivo de Trabalho estabelece a paz social na empresa, à boleia de aumentos salariais. “Não temos planos de quaisquer despedimentos coletivos”, assegura CCO da Altice Portugal.

A 11 de julho, a Altice Portugal e 14 estruturas sindicais assinaram um novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). A medida de maior impacte são os aumentos salariais, a começar num incremento de 4% para os rendimentos mais baixos. Só esta medida representa um reforço de 2,5 milhões de euros na massa salarial da empresa.

Em entrevista ao Jornal Económico, o Chief Corporate Officer da Altice Portugal, (CCO) João Zúquete da Silva, explica a importância deste acordo, considerado histórico e que estabelece paz social dentro da empresa.

Em que consiste o ACT?

Nem todos os sindicatos marcaram presença em todas as instâncias da negociação do ACT.  O ACT é documento vivo. Está consignado no documento que, de tempos em tempos, tem que ser revisto.

De quanto em quanto tempo?

Tipicamente em um ano, com alguma flexibilidade. Porque depois há temas que, quando não novidades para aportar ao documento faz-se em protocolo que são documentos que se anexam ao ACT. Ou em negociação simples com sindicatos ou com estruturas de trabalhadores que resolve um conjunto de temas que possam necessitar disso mesmo.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui aqui ao JE Leitor

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários