António Costa ficou fechado em casa de uma amiga no 25 de abril

António Costa explicou como foi a sua experiência de vida no dia que marcou a revolução dos cravos, há 43 anos.

O primeiro-ministro António Costa ficou fechado em casa durante o 25 de abril de 1974.

Em declarações há minutos aos jornalistas, durante uma passagem pelas portas abertas ao público do Palácio de São Bento, o líder do Governo e do PS revelou que no dia que marcou a revolução dos cravos, há 43 anos, “estava em casa”.

“A minha mãe foi acordada porque, na altura, era sua colega [era jornalista] e foi trabalhar. Fiquei em casa de uma amiga, onde fiquei, infelizmente fechado no dia 25 de abril, a ver o que se podia fazer pela televisão”, adiantou António Costa.

O primeiro-ministro concluiu estas revelações dizendo que “no dia 26 já foi um dia de liberdade e já pude ir para a rua”.

Recomendadas

No 25 de Abril, tem-se…

A Liberdade em Portugal fez ontem 43 anos. Veja as melhores imagens.

25 de Abril: Marcelo pede ao Governo “maior criação de riqueza e melhor distribuição”

Jerónimo de Sousa considerou ser “uma declaração importante que precisa de ser concretizada” e reivindicou “medidas concretas.” Deputados do BE e do PCP não aplaudiram o discurso do Presidente da República.

25 de Abril: Marcelo invoca transparência do poder político contra populismos e nacionalismos

Presidente da República alerta para o perigo de “radicalismos egoístas e excedentes, racismo e xenofobia, messianismos que da democracia apenas gostam de usar o que lhes convenha.”
Comentários