APAV registou mais de 16 mil crimes de violência doméstica em Portugal em 2017

O relatório estatístico anual da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, referente a 2017, mostra que houve 40.928 atendimentos, onde foi possível identificar 9.176 vítimas e 21.161 crimes e outras formas de violência, como 113 casos de bullying e 25 de cibercrime.

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) registou 16.741 crimes violência doméstica em Portugal só no ano passado, corresponde a 75,7% das ocorrências assinaladas. O relatório estatístico anual da organização referente a 2017, divulgado esta terça-feira, mostra que houve 40.928 atendimentos na APAV, onde foi possível identificar 9.176 vítimas e 21.161 crimes e outras formas de violência.

Entre 2015 e 2017, o número de atendimentos teve um aumento de 19,2%. Segundo a APAV, 20% das pessoas que procuraram apoio junto dos profissionais da organização advieram de recomendações por parte dos órgãos de polícia criminal (PSP, GNR, PJ – 19,8%), seguindo-se de amigos (14,8%) e de publicidade (13,7%).

Entre os casos registados em 2017 estão ainda 113 de bullying e 25 de cibercrime. Na categoria de crimes contra as pessoas, no segmento de vida ou integridade física sobressai a violência doméstica, no da liberdade pessoal destaca-se a ameaça/coação (778 casos registados, o equivalente a 3,7% do total), nos sexuais ressalta o abuso sexual de crianças (175 casos registados, o equivalente a 0,8% do total) e nos de honra foi a difamação/injúrias que assinalou mais vítimas (334 casos registados, o equivalente a 1,6% do total).

Quanto aos crimes contra o Estado, o abuso de poder/autoridade somou o maior número de ocorrências (seis – 0,03%). Já nos crimes contra a vida em sociedade, foi a violação da obrigação de alimentos que se destacou: 44 casos registados (0,2%). No que diz respeito aos crimes contra o património, a maior parte deveu-se ao dano (212 – 1%), sendo que a ofensa à integridade física registou 12 casos (0,1%) e destacou-se no parâmetro de crimes rodoviário.

Perfil geral da vítima consoante os atendimentos na APAV (9.176)

  • Sexo feminino (82,5%)
  • Idade média (42 anos)
  • Casado/a (28,2%) | Solteiro/a (23,1%)
  • Família nuclear com filhos/as (33,4%)
  • Ensino  superior (8,4%) | secundário (5,1%) | 3.º ciclo (4,6%)
  • Empregado/a (31,4%) | Desempregado/a (15,8%)
  • Relação autor/a crime:  Cônjuge (25,2%) | Companheiro/a (13,3%)
  • Ex-companheiro/a (9,4%) | Pai/mãe (8,3%) | Filho/a (7,6%)
Relacionadas

Dia Europeu das Vítimas de Terrorismo: em Portugal há um rede de apoio a vítimas e seus familiares

O ano passado ficou ainda marcado pelo início do planeamento da APAV para dar resposta à possibilidade de ocorrência de um atentado terrorista em Portugal.

APAV e Liga Portuguesa de Futebol unidas pelo fim da violência contra a Mulher

Primeira ação de campanha ocorre entre os dias 24 e 28 de novembro, durante a 12.ª jornada da Primeira Liga de futebol portuguesa.

Idosos vítimas de violência doméstica aumentam 34%, alerta a APAV

Cerca de 24 pessoas idosas recorreram aos serviços da APAV por semana, uma média de três pessoas por dia, segundo revelou a associação na véspera do Dia Internacional de Sensibilização sobre a Prevenção da Violência contra as Pessoas Idosas.
Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários