Aplicação para ‘smartphone’ permite carregar (ilegalmente) Andante sem pagar

Os Transportes Intermodais do Porto já têm conhecimento desta situação há três meses. Este esquema não é novo, já tendo sido identificado em várias cidades dos Estados Unidos.

No dia de ontem o site de tecnologia abertoatedemadrugada.com publicou um artigo onde denuncia uma aplicação para smartphones, que permite que o passe portuense Andante seja “carregado” vezes sem conta, mas só pagando a primeira utilização.

Depois desta publicação o Jornal de Notícias entrou em contacto com o TIP – Transportes Intermodais do Porto, que confirmou a informação, indicando que já tem conhecimento desta ilegalidade há três meses, garantindo que os casos são “residuais e pontuais”, cita o JN. No entanto, o site fala em “milhares de pessoas”.

Segundo o jornal, todas as pessoas que forem apanhadas a usar este tipo de carregamentos vão ser julgadas judicialmente.

Como funciona a aplicação?

Segundo o site de tecnologia, o utilizador tem de possuir um smartphone e instalar a aplicação em questão (não é referido o nome da mesma). Depois, é necessário fazer uma cópia do cartão carregado através da tecnologia NFC (Near Field Communication, Comunicação por Campo de Proximidade em português), que permite a troca de informações sem fio, apenas com a proximidade entre dois objetos. Depois de fazer a cópia através do NFC, o telemóvel guarda a informação do título carregado, por exemplo, 10 euros. Quando o título acabar, basta volta a encostar o telemóvel ao Andante e passar a informação guardada pela aplicação, e o passe volta a ter 10 euros.

No entanto, esta fraude não pode ser cometida com o título de transporte mensal, explica fonte do TIP ao JN, acrescentando que os cartões Andante que forem detetados com o esquema serão bloqueados.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários