Após Conte não ter contado, presidente italiano olha para Cottarelli para PM

“Fui informado dos pedidos de algumas forças políticas para irem fechar eleições. É uma decisão que me reservo depois de avaliar o que vai acontecer no Parlamento “, explicou Sérgio Mattarrella. Esta segunda-feira o presidente deverá convidar o economista Carlo Cottarelli para liderar um ‘governo técnico’.

Todos menos um. O presidente italiano Sergio Mattarella aprovou todos os ministros sugeridos por Giuseppe Conte, advogado (sem experiência política), que tinha na semana passada indigitado para formar um governo de coligação do Movimento 5 Estrelas e da Liga, partido de extrema-direita, e só rejeitou um. Foi, no entanto, suficiente, para deixar por terra a solução governativa e prolongar o impasse político vivido em Itália desde as eleições de 3 de março e cujo fim poderá passar por uma nova ida às urnas.

Mattarella rejeitou a nomeação de Paolo Savona, um economista que é contra a União Europeia e descreve o euro como ‘jaula alemã’, para ministro da Economia. Os lideres europeus e os investidores tinham demonstrado nervosismo sobre a possibilidade do novo governo italiano entrar em conflito com a União Europeia, especialmente numa altura em que se negoceia o Brexit. Alguns analistas já falavam da possibilidade de Conte levar a um Italexit, mesmo que a considerassem pouco provável.

“O Presidente da República desempenha um papel de garantia que não pode ser de imposição. Aceitei todas as propostas, exceto o ministro da Economia”, referiu Mattarella aos jornalistas, após a reunião de domingo com Conte, citado pelo Corriere della Sera.

Salientou que “não pode apoiar a proposta de um ministro que é um defensor da saída do euro – a incerteza sobre nossa posição em relação à moeda única tem alarmado os investidores e investidores italianos e estrangeiros que investiram em nossos títulos do governo e em nossas empresas”.

A situação política em Itália tem preocupado os líderes europeus e os investidores. Na sexta-feira, a taxa da dívida soberana italiana a 10 anos subiu para 2,461%, o nível mais elevado desde outubro de 2014 e o diferencial (spread) face à equivalente alemã tocou em 200 pontos base, máximos de quase um ano. A pressão sobre a dívida italiana contagiou também as equivalentes de Portugal, Espanha e Grécia. A Bolsa de Milão também tem sido castigada, com um tombo de 6,39% este mês

“O aumento do spread reduz os recursos do Estado, atenção deve ser dada ao perigo do aumento do interesse por hipotecas e empréstimos a empresas. É meu dever estar atento à proteção das poupanças dos italianos, assim a soberania italiana é reafirmada concretamente “, salientou o presidente italiano. “A adesão ao euro é uma escolha fundamental, se quisermos discuti-lo, devemos fazê-lo em profundidade”.

Questionado sobre o próximo passo, Mattarrella respondeu: “Fui informado dos pedidos de algumas forças políticas para irem fechar eleições. É uma decisão que me reservo depois de avaliar o que vai acontecer no Parlamento “.

Segundo a Reuters, que cita uma fonte da presidência, Mattarella convidou Carlo Cottarelli, um antigo diretor sénior do Fundo Monetário Internacional, para uma reunião esta segunda-feira e na qual poderá convidar o economista de 68 anos para liderar um ‘governo técnico’ até às eleições.

Após a reunião de domingo, Conte disse que tinha devolvido o mandato para formar “um governo de mudança” e assegurou, citado pela Bloomberg, que “fez tudo possível para tentar cumprir essa tarefa”.

 

Ler mais

Relacionadas

Itália: Conte desiste de formar governo e país pode ter de voltar às urnas

O primeiro-ministro indigitado, Guiseppe Conte, desistiu da tentativa de formar Governo após o presidente do país ter rejeitado a escolha de um eurocético para o lugar de ministro da Economia. “Devolvo o mandato e fiz tudo possível para cumprir a tarefa”, disse.

Moody’s sinaliza que pode cortar o ‘rating’ de Itália devido ao novo Governo

A agência de notação financeira anunciou que irá usar o período de revisão para avaliar o impacto da política orçamental e económica do novo governo no perfil de crédito de Itália, com um foco particular para dívida e défice.

Euro cai e atinge valor mínimo desde novembro face ao dólar

A depreciação que o euro tem vindo a registar nos últimos dias devido à preparação de um governo dominado por formações populistas em Itália acentuou-se hoje com a instabilidade política em Espanha, com as principais forças da oposição a contestarem o governo liderado por Mariano Rajoy.

Giuseppe Conte designado primeiro-ministro de Itália

Apesar de todas as polémicas, o nome escolhido pela coligação que vai governar o país foi aceite pelo presidente Sergio Mattarella.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários