As tendências que permitem bons investimentos

Com as políticas agressivas dos Bancos Centrais a chegar ao fim, a divergência de taxas está também a terminar. Taxas de juro em crescendo podem representar um cenário também favorável para o crédito.

Não é segredo que os spreads estão no seu nível mínimo, contudo, o que poderá ser uma surpresa para muitas pessoas é que a diferença entre os títulos de dívida com melhor e pior performance podem exceder os 10%.

Boas notícias para uma gestora como a Schroders, num ambiente de taxas de juro reduzidas e spreads fortes. Esta dispersão significa que podemos olhar para novas oportunidades de gerar negócio para os nossos clientes.

Com as políticas agressivas dos Bancos Centrais a chegar ao fim, a divergência de taxas está também a terminar. Taxas de juro em crescendo podem representar um cenário também favorável para o crédito. Mas, para isso é essencial entender o modelo da empresa, olhar mais além das suas contas trimestrais e, assim, apresentar convicções fundamentadas sobre a empresa.

Por isso mesmo, na Schroders, temos vindo a desenvolver técnicas e estratégias para explorar da melhor forma as oportunidades de mercado. Neste contexto, uma forma de identificar essas oportunidades é compreender as tendências que estão a influenciar a performance das empresas, entre elas:

Aumento da procura de informação online: vivemos numa era digital, na qual passamos a maior parte do tempo, seja no trabalho ou em casa. As empresas capazes de desenvolver a infraestrutura necessária e de inovar para oferecer uma oferta adequada, parecem bem posicionados para ter sucesso nesta era digital. Por outro lado, as empresas que não são capazes de responder às necessidades dos consumidores, poderão tornar-se vulneráveis.

Demografia: é fundamental que as empresas conheçam a demografia da sua base de clientes. A população está a viver mais tempo. Como investidores, temos de considerar que empresas e modelos de negócio se adaptam melhor a estas tendências demográficas e geracionais e quais as empresas que estão em risco.

Tecnologia: a tecnologia tem vindo a desenvolver-se a um ritmo alucinante, afetando a nossa vida de uma forma ou de outra. Para as empresas, a tecnologia está a criar oportunidades de melhoria de eficiência ao limitar o impacto da reduzida capacidade do trabalho humano. Temos também de considerar as ameaças à tecnologia, tais como cibercrime e a forma como as empresas estão a lidar com estas ameaças.

Impacto ambiental dos motores a diesel: a baixa emissão de dióxido de carbono pelos motores a diesel, comparativamente aos de gasolina, tem vindo a torná-los populares nos últimos anos. Contudo, investigações revelaram que o dióxido de nitrogénio pode ser prejudicial à saúde. Devido a esta situação, os governos estão a impor restrições às emissões dos veículos, aumentando taxas em viaturas com combustível fóssil. Por tudo isto, é importante estarmos atentos ao desenvolvimento de veículos elétricos, às empresas que estão a adotar estas tecnologias e às que não estão a fazê-lo.

Estes são apenas alguns exemplos de como estas novidades afetam a vida de todos nós. Como investidores, devemos estar atentos a estas mudanças, porque o impacto será cada vez maior nos vários mercados a nível mundial.

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários