Atenção, condutores: Gasolina volta a descer na próxima semana

A partir de segunda-feira, a gasolina ficará mais barata. A descida média de 1,4 cêntimos não chegará, no entanto, ao gasóleo, cujo preço se manterá inalterado.

A partir da próxima semana verifica-se uma nova queda no preço da gasolina, a terceira consecutiva. De acordo com fontes do setor contactadas pelo Jornal Económico, a gasolina sofrerá uma descida de 1,3 cêntimos nos postos dos hipermercados e das chamadas “marcas brancas”. A maior descida será sentida nos postos das gasolineiras tradicionais, onde as fontes contactadas pelo Jornal Económico afirmam ir existir uma descida de 1,5 cêntimos.

Ao contrário da gasolina, o preço do gasóleo não se deverá alterar.

Os dados da DGEG colocam o preço médio do gasóleo em 1,227€ e o da gasolina simples em 1,436€. Na lista abaixo encontrará os postos mais baratos do país (dados da DGEG)

Gasolina(s):
Socrabine, Coina – 1,328€
Jumbo de Aveiro – 1,329€
Intermarché de Vila Real de Santo António – 1,329€
Intermarché de Ourém – 1,329€
Rede Energia de Monte Gordo – 1,329€

Gasóleo(s):
Jumbo de Aveiro – 1,059€
Socrabine, Coina – 1,069€
Intermarché de Vila Real de Santo António – 1,069€
Rede Energia de Monte Gordo – 1,069€
Intermarché de Ovar – 1,075€

Relacionadas

Já abasteceu? Combustíveis estão mais baratos

Os combustíveis voltaram a descer. A partir de hoje, o gasóleo fica mais barato entre 1,7 e 2 cêntimos por litro. O preço da gasolina também desce: entre 1,4 e 1,5 cêntimos por cada litro.
Recomendadas

Governo afirma que atribuição de pensões vai ser mais rápida

No ano passado, a Segurança Social processou 50 milhões de pensões e prestações sociais. Cláudia Joaquim refere que a teve ‘luz verde’ a legislação para evitar que, quem fica à espera da pensão durante vários meses e depois recebe todos os montantes em atraso de uma só vez, seja penalizado em sede de IRS.

Nova gama de NIF iniciada por 3 já começou a ser atribuída

Desde esta quinta-feira, os novos NIF para cidadãos nacionais ou estrangeiros já têm um novo primeiro dígito: começa por 3 a sequência de nove números, obrigando à adaptação dos sistemas informáticos por parte de todas as entidades que utilizem o NIF. É o caso de comerciantes, bancos, empresas, contabilistas, entre outros.

Salários de trabalhadores de topo continuam a subir vincado desigualdade salarial

O relatório da Organização Mundial de Trabalho verificou que os rendimentos de 60% da classe média diminuiu entre 2004 e 2017, de 44,8% para 43%, enquanto o dos mais ricos aumentou de 51,3% para 53,5%.
Comentários