Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, pelas 05:30 um avião de carga com destino ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro alertou a central para “um problema no motor”, levando a colocar em alerta 31 homens e 11 viaturas, que acabaram “por não sair do quartel”.

Em menos de 24 horas, esta é a segunda aterragem de emergência registada no aeroporto do Porto: o mesmo aconteceu na terça-feira com um avião de passageiros da United Airlines que partia rumo a Newark, nos Estados Unidos, acabando a aeronave por aterrar em segurança, depois de ter colidido com aves (‘Bird Strike’).

Também neste caso, foi ativado o “alerta de nível número 1” – que obriga 11 corporações da zona do aeroporto a colocarem em prevenção no quartel um veículo cada, mas não foi necessário que os meios prestassem qualquer auxílio, disse na terça-feira à Lusa fonte da Autoridade da Proteção Civil do Porto.

Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.
Comentários