Bancos moçambicanos lucram 135 milhões em 2013

Os bancos de Moçambique registaram um aumento de 32 por cento nos lucros em 2013, para mais de 135 milhões de euros, segundo um estudo da Associação Moçambicana de Bancos (AMB) e da empresa de auditoria KPMG. No estudo, a que a Lusa teve acesso, refere-se que os proveitos alcançados pelos bancos moçambicanos no ano […]

Os bancos de Moçambique registaram um aumento de 32 por cento nos lucros em 2013, para mais de 135 milhões de euros, segundo um estudo da Associação Moçambicana de Bancos (AMB) e da empresa de auditoria KPMG.

No estudo, a que a Lusa teve acesso, refere-se que os proveitos alcançados pelos bancos moçambicanos no ano passado foram determinados pelo aumento das receitas de juros, impulsionado pela subida de 29% nas carteiras de crédito.

A relativa estabilidade da taxa de empréstimo principal dos bancos em 15%, a redução dos juros dos depósitos a prazo e o aumento das taxas e comissões de renda, associadas ao aumento do número de depósitos, foram as principais causas do volume de lucros conseguidos pelos bancos moçambicanos, indica o estudo.

De acordo com a pesquisa, que analisou os 15 bancos que operam no setor financeiro moçambicano, o Banco Internacional de Moçambique (BIM), detido pelo português Millennium BCP, voltou a ser o mais lucrativo, com os proveitos a subir 62% para 84,5 milhões de euros, em 2013.

Em segundo lugar, está o Banco Comercial e de Investimentos (BCI), participado pela CGD e pelo BPI, com 35,8 milhões de euros de lucros, mais 27% do que em 2012.

O sul-africano Standard Bank foi o terceiro mais rentável, com lucros superiores a 30,7 milhões de euros, mais 23% do que no ano anterior.

A avaliação da AMB e da KPMG assinala que, dos 15 bancos pesquisados, seis instituições não identificadas tinham posições de prejuízo líquido, atribuídas aos elevados índices de perda por imparidade, custos operacionais mais elevados, aumento de competição ou uma combinação desses fatores.

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.