BCP ajuda lucro da chinesa Fosun a subir 28%, para 1,7 mil milhões de euros

O grupo chinês, detentor de mais de 25% do capital do BCP afirmou, na apresentação de resultados, que o banco liderado por Nuno Amado está entre as operações core que mais cresceu no ano passado.

Aly Song / Reuters

O lucro da Fosun aumentou 28% no ano passado, face a 2016, para 13,16 mil milhões de yuan (c erca de 1,68 mil milhões de euros), tendo o grupo chinês referido, na sessão de apresentação de resultados que o BCP, onde o grupo detém uma participação de 25%, foi uma das operações estratégicas que mais cresceu.

As receitas subiram 19%, para 88,03 mil milhões de yuan (cerca de 11,28 mil milhões de euros), impulsionadas pelos “fortes resultados das operações core” e “disciplinada alocação de ativos”, refere a Fosun.

Ao longo do ano, o grupo chinês realizou mais de 100 investimentos, 50 alienações e 10 initial public offerings (IPO).

“Em 2017, assistimos a um crescimento significativo das principais operações, incluindo a Fosun Pharma, o Club Med, o Yuyuan, o Millennium BCP e o Nanjing Nangang”, afirmou o chairman da Fosun International, Guo Guangchang, em comunicado.

A empresa vai propor o pagamento de um dividendo referente a 2017 de 0,35 dólares de Hong Kong (3,5 cêntimos de euro), o que representa um aumento de 67% em comparação com o ano anterior.

A Fosun apresentou resultados depois de as ações terem fechado a sessão desta terça-feira a valorizar 3,46%, para 17,94 dólares de Hong Kong (1,794 euros), na Bolsa de Hong Kong.

“A Fosun construiu o seu sucesso com estabilidade e consistência e tenho o orgulho de anunciar que nos últimos cinco anos conseguimos aumentar os nossos lucros em média quase 30% todos os anos”, disse ainda Guangchang.

“No entanto, estou ainda mais entusiasmado com o futuro, enquanto continuamos a desenvolver nossa estratégia C2M, para expandir as nossas operações core, para desenvolver a nossa tecnologia pioneira e plataforma de inovação, para que possamos tornar-nos não apenas uma empresa global com raízes chinesas, mas uma operadora global de produtos e serviços de classe mundial. 2017 foi um grande ano, mas o futuro será ainda melhor”, acrescentou.

Ler mais
Relacionadas

Fosun, Sonangol e EDP alinhados no BCP

Em carta enviada aos administradores do BCP os três acionistas assumem uma lista conjunta para os órgãos sociais. A comissão executiva será mais pequena.

Nova administração do BCP vai ter 17 elementos

A composição do novo Conselho de Administração do banco ainda não está fechada. O processo está a ser discutido com o Banco Central Europeu.

Fosun compra participação maioritária em grupo de moda austríaco

O conglomerado chinês ofereceu 12,8 euros por ação e ainda acordou investir 22 milhões de euros numa operação de aumento de capital a concluir em maio.
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários