BEI contrata empréstimo de 150 milhões ao Totta para PME

O Banco Europeu de Investimento (BEI) vai conceder um empréstimo de 150 milhões ao Banco Santander Totta para proporcionar financiamento às PME, empresas de média capitalização (mid-caps) e entidades do setor público em Portugal.

Cristina Bernardo

O BEI contratualizou um empréstimo de 150 milhões com o Banco Santander Totta para promover o crescimento económico e o emprego em Portugal, avança a instituição liderada por António Vieira Monteiro em comunicado.

O empréstimo do Banco Europeu de Investimento (BEI) ao Banco Santander Totta para proporcionar financiamento às PME, empresas de média capitalização (mid-caps) e entidades do setor público em Portugal.

Román Escolano, Vice-Presidente do BEI, e António Vieira Monteiro, Presidente da Comissão Executiva do Banco Santander Totta, assinaram hoje o contrato de financiamento em Lisboa. Este instrumento financeiro de 150 milhões é a última tranche de um empréstimo intermediado, no montante total de 500 milhões de euros, concedido ao Banco para facilitar o financiamento de projetos de pequena e média dimensão.
“Graças ao empréstimo do BEI, o Banco Santander Totta continuará a apoiar investimentos promovidos sobretudo por PME e empresas mid-cap“, diz o banco que garante que transferirá para os beneficiários finais as vantagens do financiamento do BEI, tanto em termos de maturidades como de taxas de juro.

Até 30 % do montante do empréstimo poderá ser usado para financiar pequenos projetos realizados por autarquias ou outras entidades do setor público.

“Trata-se da sexta operação do BEI realizada com o Banco Santander Totta a favor das PME e empresas mid-cap”, avança o comunicado. A primeira e a segunda tranches do empréstimo de 500 milhões aprovado para o Banco Santander Totta foram assinadas em novembro de 2015 e em dezembro de 2016, respetivamente, tendo proporcionado financiamento a mais de 2 000 empresas e projetos diferentes em Portugal.

“O acordo hoje assinado, em Lisboa, com o Banco Santander Totta proporcionará crédito às PME portuguesas, que representam cerca de 80 % do total do emprego em Portugal. Por conseguinte, a capacidade de financiamento adicional proporcionada pelo BEI, através deste empréstimo em condições vantajosas, continuará a promover o crescimento a longo prazo e a criar emprego no país, dada a importância destas empresas para a economia portuguesa”, afirmou Román Escolano, Vice-Presidente do BEI, na cerimónia de assinatura, citado no comunicado.

António Vieira Monteiro, CEO do Banco Santander Totta, avança no comunicado que “a missão do Banco Santander Totta é contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas. Estamos muito empenhados na promoção e no desenvolvimento das nossas empresas que têm demonstrado uma forte capacidade de gerar resultados em Portugal e no estrangeiro. Esta nova tranche contribuirá para o crescimento das empresas portuguesas, para a retenção de talentos no país e exerce um impacto positivo na nossa economia”.

Hoje foi também noticiada a assinatura de um contrato de empréstimo do BEI com a CGD.

 

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários