Bolsa de Lisboa fecha em terreno positivo. Altri manteve-se a liderar os ganhos

PSI 20 somou 0,34%, para 5.661,81 pontos. “Os comentários de Paolo Savona arrastaram a banca europeia para terreno negativo, o setor mais condicionado na Europa”, explica Ramiro Loureiro, analista do Mtrader, do Millennium bcp.

A bolsa portuguesa encerrou a sessão desta terça-feira, dia 10 de julho, em terreno positivo, partilhando o sentimento das congéneres europeias. O principal índice bolsista, PSI 20, somou 0,34%, para 5.661,81 pontos, impulsionado pelas valorizações da Altri e pelas empresas do setor da energia.

 Altri é a cotada que mais ganhou na praça lisboeta, valorizando 2,75%,para 8,9700 euros. Recorde-se que a papeleira tocou novos máximos históricos no arranque da sessão, ao atingir os 8,990 euros. A beneficiar o desempenho da Altri está a avaliação do Santander, que atribuiu um preço-alvo de 10,50 euros às suas ações. O consenso de analistas tem atribuído um preço-alvo de 7,55 euros.

No mesmo setor, a Navigator avança 0,59%, para 5,100 euros. A empresa informou esta terça-feira que assinou um memorando de entendimento com o Governo de Moçambique em relação à reformulação do projeto de investimento no país, cujo investimento deve ascender a 260 milhões de dólares. Desses, 120 milhões de dólares já foram realizados.

No segmento da energia, a EDP – Energias de Portugal perdeu 0,06%, mas por outro lado a EDP Renováveis ganhou 0,33%, a Galp Energia avançou 0,44% e a REN valorizou 0,16%. Em terreno positivo fechara também a Jerónimo Martins (+0,87%), a NOS (+0,98%), bem como a Corticeira Amorim (+1,76%).

A negociar no ‘vermelho’ destaca-se o BCP, que perdeu 0,77% para 0,2574 euros. A acompanhar o pessimismo estiveram ainda a Pharol (-0,82%), a F. Ramada (-0,56%) e a Semapa (-0,87%).

“Com os olhos postos no arranque da earnings season, a maioria dos índices europeus fecha a sessão com saldo positivo. O S&P 500 pisava o verde pela 4ª sessão consecutiva, traduzindo-se na melhor sessão num mês. A PepsiCo era o título mais animado nesse universo, em resposta aos bons números apresentados“, afirma Ramiro Loureiro, analista do Mtrader, do Millennium bcp.

O analista salienta que “a capacidade das empresas superarem as estimativas vai ser determinante para o comportamento dos mercados acionistas”. “Por cá, os comentários de Paolo Savona arrastaram a banca europeia para terreno negativo, o setor mais condicionado na Europa”, acrescenta.

Na Europa, o francês CAC 40 valorizou 0,67%, o holandês AEX avançou 0,52%, o britânico FTSE 100 subiu os ligeiros 0,05% e o italiano FTSE MIB somou 0,11%. Em contraciclo, o espanhol IBEX 35 depreciou 0,42%. A bolsa de Madrid continuou a ser pressionada pelas perdas de cotadas como o BBVA (-2,56%) e Cie Automotive (-2,92%).

O ZEW Survey alemão revelou esta manhã uma degradação das perspetivas para os próximos seis meses. O valor de leitura passou dos -16,1 para os -24,7, mínimos de 2012. Ainda assim, o principal índice da bolsa de Frankfurt, DAX, ganhou 0,53% no término da sessão de hoje.

No setor petrolífero, o preço do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, valoriza 0,77% para 78,67 dólares, enquanto o crude WTI ganha 0,12%, para 73,94 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro perde 0,13%, para 1,1736 dólares, e a libra voltou a recuperar depois dos deslizes de ontem – devido às renúncias no governo britânico – e aprecia 0,17%, para 1,3281 dólares.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários