Bolsa portuguesa chega a meio da sessão no “verde”, impulsionado pela Sonae

O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, avança ligeiramente 0,19%, para 5.430,26 pontos, numa altura em que as praças europeias estão em alta.

Reuters

A bolsa portuguesa chegou a meio da sessão desta quinta-feira a negociar no “verde”. O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, avança ligeiramente, 0,19%, para 5.430,26 pontos, numa altura em que as praças europeias estão em alta.

A Sonae lidera os ganhos a meio da sessão. Avança 3,20%, para 1,1600 euros. Esta evolução está relacionada com a apresentação de lucros em 166 milhões de euros para o ano de 2017 e com o anúncio de investimento no retalho. O grupo prepara-se para investir 105 milhões de euros no setor.

A Mota-Engil continua a ser uma das cotadas mais valorizadas na sessão desta quinta-feira: soma 3,19%, para 3,7250 euros.

A Jerónimo Martins é outro destaque ao valorizar 0,86%, para 15,2450 euros.

Os CTT, que estava ‘flat’ nas primeiras horas após abertura da sessão, encontra-se agora a crescer 0,77%, para3,1240 euros.

A Novabase mantém-se em alta também. Soma 0,71 %, para 2,8200 euros,

Em contraciclo, seguem em terreno negativo a papeleira Altri (-0,51%, para 4,8600 euros), o BCP (-0,52%, para 0,2846 euros) e a Navigator (-1,00%, para 4,5500 euros).

Nas praças europeias, alemão DAX sobe 0,51%, o francês CAC 40 avança 0,30%, o britânico FTSE 100 valoriza 0,01% e o italiano FTSE MIB cresce 0,45% e o holandês AEX cresce 0,07%. O espanhol IBEX 35 cai 0,28%.

No mercado petrolífero, o Brent soma 0,31% para os 65,09 dólares por barril e o crude WTI avança 0,46% para os 61,24 dólares.

No mercado cambial, o euro recua 0,20% face ao dólar, para 1,2342 dólares.

[Dados das 13h07]

Praça lisboeta segue em alta influenciada pela Mota-Engil, Sonae e NOS

Ler mais

Relacionadas

Sonae aumenta dividendo em 5% e vai pagar 4,2 cêntimos por ação

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonae refere que este dividendo corresponde a um ‘dividend yield’ de 3,7% relativamente à cotação de fecho do dia 31 de dezembro de 2017 (que se fixou em 1,126 euros) e a um ‘payout ratio’ de 64% face ao resultado direto atribuível aos acionistas.

Grupo Sonae atinge lucros de 166 milhões de euros

Com um volume de negócios de 5,710 mil milhões de euros, a dívida líquida diminuiu mais de 100 milhões e os investimentos ultrapassaram os 316 milhões. O grupo já está a operar em 90 países.

Sonae investe 105 milhões de euros em inovação no retalho

Livro de Inovação no Retalho 2017 sintetiza principais projetos implementados na Sonae ao nível da inovação. O contributo para os resultados mas também para a economia social é elevado.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários