Bolsas europeias sobem com fim do programa de estímulos da Fed

As principais bolsas europeias seguem em alta, à exceção de Londres, com os investidores a reagirem positivamente ao anúncio da Reserva Federal norte-americana (Fed) de terminar com o programa de estímulos. Cerca das 08h30 em Lisboa, o EuroStoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em alta de 0,71% para […]

As principais bolsas europeias seguem em alta, à exceção de Londres, com os investidores a reagirem positivamente ao anúncio da Reserva Federal norte-americana (Fed) de terminar com o programa de estímulos.

Cerca das 08h30 em Lisboa, o EuroStoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em alta de 0,71% para 3.043,52 pontos.

As principais bolsas europeias seguem a negociar em terreno positivo, entre os ganhos de 0,49% de Madrid e os de 0,89% de Milão.

A única exceção era Londres, que seguia a negociar ligeiramente em baixa, a recuar 0,06%.

Em Lisboa, o PSI20 contrariava igualmente a tendência das praças europeias e seguia a perder 0,83% para 5.151,17 pontos.

O banco central dos Estados Unidos anunciou na quarta-feira o fim do programa de apoio monetário que tem dado à economia norte-americana e disse também que as taxas de juro ficam inalteradas e próximas de zero.

O comité de política monetária da Reserva Federal (Fed), que cita “sólidos avanços” no mercado laboral, vai cessar, como era esperado, as injeções de liquidez.

O banco central norte-americano promete também manter as taxas de juro próximas de zero durante “um período considerável”, mas acrescenta que se os progressos na inflação e no emprego forem mais rápidos, poderá haver uma primeira subida antes do esperado.

OJE/Lusa

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.