Brasileira Oi lucra quase 7.000 milhões de euros no primeiro trimestre de 2018

O lucro registado pela Oi deve-se à “reestruturação da sua dívida aprovada no Plano de Recuperação Judicial”, de acordo com o comunicado à CMVM pela Pharol, que detém mais de 20% da empresa.

A operadora de telecomunicações brasileira Oi registou nos primeiros três meses de 2018 um resultado líquido de 30,5 mil milhões de reais (quase 7.000 milhões de euros), informou a portuguesa Pharol, que detém 22,2% da empresa, à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta terça-feira.

O lucro registado pela Oi deve-se à “reestruturação da sua dívida aprovada no Plano de Recuperação Judicial”, o que faz com que o património líquido “volte a ser positivo” e atinja 28,9 mil milhões de reais (mais de 6,6 mil milhões de euros). Em 2017, a Oi registou prejuízos de 69 milhões de reais (cerca de 15,9 milhões de euros).

Os resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) recorrentes aumentaram 20,5%, no primeiro trimestre do ano, em comparação com igual período de 2017, para 1,6 mil milhões de reais (mais de 370 milhões de euros).

As receitas da empresa caíram 7,3%, para 5,67 mil milhões de reais (mais de 1,3 mil milhões de euros).

A Oi justificou a diminuição das receitas com uma quebra de 7,3% do mercado brasileiro e uma perda de 50,7% nas operações internacionais, “à redução da participação de uma das empresas da companhia no capital social da operadora namibiana de telecomunicações Mobile Telecommunications Limited”.

Relacionadas

Oi adia apresentação de resultados trimestrais para 28 de maio

A operadora brasileira Oi anunciou hoje que adiou de 15 para 28 de maio a divulgação das informações financeiras trimestrais e do relatório de revisão dos auditores independentes relativos ao primeiro trimestre de 2018.

Aumento de capital da Oi até junho. Pharol dilui participação para 7,66%

A Pharol, que detém 22,24% da Oi através da sua subsidiária Bratel, passará a deter 7,66% após a conversão da dívida.
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários