Bruxelas inicia debate sobre mudança da hora de verão

Por iniciativa da Comissão Europeia, os cidadãos europeus e as partes interessadas são convidados a partilhar os seus pontos de vista sobre a questão, preenchendo um questionário em linha, disponível em todas as línguas da União Europeia (UE), até 16 de agosto.

A Comissão Europeia lançou esta semana uma consulta pública sobre as mudanças de hora que se verificam duas vezes por ano para ter em conta a evolução dos padrões de luz do dia, mais conhecida como ‘hora de verão’.

Por iniciativa da Comissão Europeia, os cidadãos europeus e as partes interessadas são convidados a partilhar os seus pontos de vista sobre a questão, preenchendo um questionário em linha, disponível em todas as línguas da União Europeia (UE), até 16 de agosto.

Segundo um comunicado da representação da Comissão Europeia em Portugal, “esta consulta pública faz parte da avaliação da diretiva da UE relativa à hora de verão, que a Comissão lançou recentemente para avaliar se as regras devem ou não ser alteradas”.

“A iniciativa da Comissão vem no seguimento da votação pelo Parlamento Europeu de uma resolução sobre a hora de verão, bem como dos pedidos dos cidadãos e determinados Estados-Membros da UE.

A 8ª diretiva comunitária emanada do Conselho Europeu e do Parlamento Europeu, de 22 de julho de 1997, instituiu a hora de verão no espaço comunitário, do final de março até ao final de outubro.

a partir de 202, à uma hora da manhã do último domingo de março, muda-se a hora para o chamado horário de verão, que termina à uma hora da manhã do último domingo de outubro.

Devido a crescentes queixas sobre os efeitos nefastos que essa mudança de hora poderá ter na saúde das pessoas e como potencial geradora de prejuízos para diversas atividades económicas, em setores mais sensíveis a esta questão, como os transportes e as comunicações, o Parlamento Europeu instou a Comissão Europeia a efetuar uma análise aprofundada aos impactos desta medida, que poderão, se necessário, levar à apresentação de uma proposta legislativa para a sua revisão e para acabar com a hora de verão.

Ler mais
Recomendadas

“Dietas milagrosas” contrariam forma saudável de perder peso, alerta Deco

Para perder peso e manter a saúde, a dieta deve ser variada, eliminar os alimentos hipercalóricos, contemplar nunca menos de 1200 quilocalorias diárias (no caso das mulheres) e 1500 quilocalorias (no caso dos homens).

Gastos irregulares de cinco hospitais públicos sob suspeita

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde realizou auditorias a cinco hospitais públicos e encontrou gastos irregulares no valor de 23,5 milhões de euros. 

Saúde. Privados investem 750 milhões de euros na criação de 19 hospitais até 2020

O grande reforço da oferta privada é em Lisboa e no Porto. Mas também há uma aposta em novas regiões como na Madeira, Açores, Vila Real ou Viseu, de acordo com o presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, Óscar Gaspar.
Comentários