Caixa BI prevê queda de 50% do lucro dos CTT em 2017

O banco de investimento da CGD emitiu uma nota onde antecipa que os CTT vão apresentar um resultado líquido anual de 30,6 milhões de euros, o que compara com 61,2 milhões em 2016.

Cristina Bernardo

Os CTT vão divulgar os resultados anuais e os relativos ao 4º trimestre de 2017 no próximo dia 7 de março após o fecho do mercado.

O banco de investimento da CGD emitiu uma nota onde antecipa que os CTT vão apresentar um resultado líquido anual de 30,6 milhões de euros, o que compara com 61,2 milhões em 2016.

Em termos trimestrais (4º trimestre de 2017  versus 4º trimestre de 2016) a queda é de 30,8% para 11,1 milhões (nos três meses de 2016 tinha lucrado 16 milhões).

O analista do Caixa BI estima que para o 4º trimestre de 2017 a empresa liderada por Francisco Lacerda tenha tido receitas de 173,4 milhões de euros e um EBITDA de 19 milhões. No que respeita ao ano 2017 “estimamos receitas de 691,4 milhões; um EBITDA de 79,8 milhões e um resultado líquido de 30,6 milhões.

As receitas de Correio no 4º trimestre de 2017 deverão ser de 130,3 milhões (-3.9% num ano – isto é, trimestre contra trimestre homólogo de 2016) e +5.4% no trimestre contra trimestre anterior, com os volumes de correio endereçados a caírem 6% num ano no mesmo horizonte temporal.

Para o ano  2017, o Caixa BI estima que as receitas desta área de negócio sejam de 523,7 milhões (-1.8% num ano), com os volumes de correio transportados a acumularem uma queda de 6,2% num ano.

O EBITDA consolidado estima-se que totalize 19 milhões no 4º trimestre (-0,6% face ao mesmo trimestre do ano anterior e +41,1% face ao trimestre anterior), com o EBITDA do segmento de Serviços Financeiros a cair 30,1% face ao período homólogo.

Ainda para o total do ano 2017, o EBITDA estimado pelo Caixa BI é de 79,8 milhões (-43,1% do que no trimestre homólogo), maioritariamente afetado pela performance operacional do Correio (-15,6% num ano) e pelo Banco CTT (-23,2 milhão).

Abaixo da linha de EBITDA, antecipam que uma provisão de 9,8 milhões no
2017 relacionado com o Plano Transformacional e uma mais-valia de 16 milhão
relacionada com a venda da antiga sede (Book Value de 25 milhão).

O Caixa BI diz que de uma forma geral, “antecipam que os resultados do último trimestre do ano não tragam grandes novidades, confirmando o difícil enquadramento em que os CTT operam, nomeadamente no Correio (volumes endereçados a caírem 6,2% em 2017 face ao período homólogo)”.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de ‘research’ emitida pela casa de investimento.

Ler mais

Relacionadas

Pequenos acionistas dos CTT contestam a estratégia

Sequeira Braga está a promover uma reunião de pequenos investidores, para aprovar propostas a levar à AG da empresa, em abril.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários