Cápsula do tempo: Al-Zarqawi finalmente encontrado pelas forças especiais

No dia 8 de junho de 2006 desaparecia um dos herdeiros mais temíveis de bin Laden e o fundador do grupo que evoluiria para o autoproclamado Estado Islâmico. O Ocidente respirou de alívio, mas rapidamente percebeu que não havia nenhuma razão para isso.

No dia 8 de junho de 2006, uma operação conjunta dos serviços secretos e das forças especiais dos Estados Unidos, em conjunto com os serviços secretos jordanos, permitiu abater o líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi, considerado um dos herdeiros de Osama bin Laden e o mais direto responsável pelas movimentações extremistas que o Islão mantinha em atividade.

Na operação haveriam de morrer dez combatentes e Zarqawi – que estava em reunião com um grupo de apoiantes – foi ferido, mas acabaria por morrer minutos mais tarde. Na altura, os Estados Unidos consideraram que o desaparecimento de Zarqawi constituía uma forte machadada nas intenções belicistas dos terroristas islâmicos e um desanuviamento do medo que se ia instalando em alguns países face a sucessivos ataques terroristas.

Abu Musab al-Zarqawi havia sido, por outro lado, o fundador do grupo militar fundamentalista Tawhid wal-Jihad, que mais tarde acabaria por criar o autoproclamado Estado Islâmico. Mas, à altura da sua morte, o Ocidente acreditou que a morte do líder regional e as prováveis movimentações ‘autofágicas’ para o substituir acabariam por retirar força às propostas radicais do grupo, mais um entre os muitos ‘filhos’ da Al Qaeda.

A realidade veio mostrar o erro grave da apreciação: o Estado Islâmico – que continua a ser combatido na Síria e no Iraque, mas ainda dá provas de vida terríveis – ficará na história como um dos mais sangrentos grupo jihadistas de que há memória, um dos mais mortíferos e aquele que mais conseguiu condicionar a vida dos europeus.

Nascido em 1966 na Jordânia, Zarqawi foi detido em 1993 por fazer parte de uma célula que pretendia derrubar o governo do país, tendo passado os sete anos seguintes na cadeia. Foi indultado em 1999 e juntou-se aos Taliban. Depois da Guerra do Iraque, passou a ser um dos cérebros dos ataques terroristas contra a coligação internacional que tomou parte no conflito – o que levou os Estados Unidos a colocá-lo no ‘honroso’ topo da lista dos mais procurados. Condenado à morte por três vezes na Jordânia, sempre à revelia, a vida sangrenta daquele que bin Laden considerava o emir do califado da Mesopotâmia só desapareceu debaixo do fogo de uma operação especial secreta.

Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários