Cartões de crédito estão a contribuir para o endividamento português

Casos de empréstimos para habitação feitos no último ano ja estão em incumprimento. Já chegaram à Deco mais pedidos de ajuda no primeiro semestre de 2018, do que no período idêntico de 2017.

Cartões de crédito/débito em ouro/diamantes

Há cada vez mais portugueses endividados por via dos cartões de crédito. O “Jornal de Notícias” desta sexta-feira revela que chegaram mais pedidos de ajuda ao Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado (GAS) da Deco, neste primeiro semestre, do que no mesmo período de 2017.

Apesar dos dados económicos apontarem para uma descida do desemprego e de um aumento do rendimento disponível das famílias e com a taxa de esforço a subir dos 70,8% para os 73%. Natália Nunes, coordenadora do GAS, afirma que “devíamos estar melhor porque o rendimento aumentou ligeiramente, mas também estamos a usar mais o cartão de crédito e aos créditos pessoais”.

É esta a principal razão apontada para que o número de pedidos de ajuda tenha crescido dos 17.370, para os 17.400, entre 2017 e 2018.

Em relação ao empréstimo da habitação encontram-se em processo de acompanhamento 1.272 casos, dos quais 32% têm o empréstimo da casa em incumprimento e 43% assumem ter dificuldades em ter as prestações em dia.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários