Caso Robles: Jerónimo de Sousa diz que faz política sem se servir a si próprio

Questionado sobre os riscos “sistémicos” de o PCP também ser afetado pelo caso, o secretário-geral do PCP respondeu com ar grave e rematou com a frase: “Eu tenho a consciência perfeitamente tranquila.”

Cristina Bernardo

O líder do PCP afirmou-se hoje de “consciência tranquila” com a sua forma de fazer política, sem se servir a si próprio, ao comentar os riscos de casos como o do bloquista Ricardo Robles.

“Tenho esta tranquilidade imensa de continuar a fazer política da forma como aprendi: procurar resgatar o que de mais nobre tem a política, que é servir os interesses dos trabalhadores e do povo e não me servir a mim próprio”, afirmou Jerónimo de Sousa, secretário-geral comunista, após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa.

Num primeiro momento, Jerónimo recusou-se a falar sobre a demissão de Ricardo Robles de vereador do BE na Câmara de Lisboa, devido à polémica com a compra de um prédio em Alfama, dizendo que não foi esse o tema da audiência com Marcelo e até se afastoiu ligeiramente do microfone.

Mas depois, questionado sobre os riscos “sistémicos” de o PCP também ser afetado pelo caso, o secretário-geral do PCP respondeu com ar grave e rematou com a frase: “Eu tenho a consciência perfeitamente tranquila.”

Ricardo Robles anunciou hoje a sua renúncia como vereador do BE da Câmara de Lisboa, afirmando ser “uma decisão pessoal” com o “objetivo de criar as melhores condições para o prosseguimento da luta do Bloco pelo direito à cidade”.

Em causa está uma notícia avançada na edição de sexta-feira do Jornal Económico, que dá conta que em 2014 o autarca adquiriu um prédio em Alfama por 347 mil euros, que foi reabilitado e posto à venda em 2017 avaliado em 5,7 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários