PremiumCatarina De Albuquerque: “Os governos não são perfeitos, mas temos de apoiá-los”

Catarina de Albuquerque é a nova presidente executiva da SWA, uma parceria da ONU. Embora critique a falta de articulação dos governos na área do desenvolvimento, vê nas dificuldades desafios a superar para prosseguir a luta que sempre a moveu: defender os direitos humanos e diminuir as desigualdades.

O ritmo a que fala não denota apenas um traço de personalidade, mas também a energia que a caracteriza, a somar ao entusiasmo com que discorre sobre aquilo que mais gosta de fazer: defender os direitos humanos e diminuir as desigualdades.

A partir de 3 de setembro, Catarina de Albuquerque, 48 anos, será a primeira presidente executiva da Sanitation and Water for All [Saneamento e Água para Todos], o cargo mais elevado ocupado por um português na UNICEF.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Carocha: Afinal, o carro do povo não morreu

Ao fim de oito décadas, o veículo que atravessou diversos momentos históricos chegou ao fim de uma longa estrada. O Carocha foi um símbolo do renascimento económico da Alemanha do pós-guerra e foi um sucesso de vendas nos Estados Unidos. Em Portugal, o espírito continua bem vivo: além de um hino, são vários os clubes e os colecionadores que guardam relgiosamente um modelo que pode valer mais de 100 mil euros.

Ângelo Girão: o comendador que mete medo aos avançados

Meses depois de ser campeão europeu de clubes pelo Sporting, realizou o sonho de tornar Portugal campeão mundial. O fim do jejum que durava desde 2003 deveu-se em grande parte ao guarda-redes de 29 anos que provou, uma vez mais, que não existe ninguém melhor a evitar que os sticks levem a bola para dentro da baliza. Os argentinos, espanhóis e italianos podem confirmá-lo.

Assembleia da República: Maioria absoluta masculina, acima dos 50 e recém-chegada

A XIII Legislatura, que está quase a terminar, não fica só marcada pela “geringonça”. Ao longo dos últimos quatro anos os portugueses foram representados por um Parlamento tão envelhecido quanto inexperiente no desempenho de funções. Aqui está a radiografia dos nossos deputados.
Comentários