Católica e CGD estabelecem parceria estratégica

A Universidade Católica Portuguesa e a Caixa Geral de Depósitos assinaram um protocolo de cooperação de âmbito nacional que abrange um conjunto de iniciativas destinadas à comunidade académica.

Rafael Marchante/Reuters

Esta parceria, representa, do lado da Caixa, “mais uma aposta no ensino superior” e, do lado da Católica, “uma aposta num parceiro que apoiará o desenvolvimento dos seus projetos estratégicos”, justificam as instituições em comunicado.

Entre as iniciativas abrangidas pelo protocolo figura a oferta de produtos e serviços específicos dirigidos ao segmento universitário – docentes, colaboradores e alunos – bem como o apoio ao desenvolvimento da academia e a atribuição de bolsas de apoio social.

Adicionalmente, explica o comunicado, a CGD disponibiliza soluções financeiras para facilitar a gestão do dia-a-dia da comunidade académica. Aqui, o principal instrumento é o cartão Caixa IU, atribuído gratuitamente, sem anuidades ou comissões. O cartão permite integrar o sistema de gestão interna que a Universidade desenvolveu, desde o acesso a espaços (Biblioteca, Livraria, Cantinas, Parques, entre outros.), até ao pagamento e atribuição de descontos.

O pacote de oferta da Caixa para os alunos incorpora ainda o serviço de internet banking Caixadirecta, a Conta de poupança especial para os universitários – Caixapoupança Superior e o cartão de Estudante Internacional Caixa ISIC – aceite como cartão de descontos em mais de 120 países e igualmente gratuito.

 

Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários