CDS assegura best-off da ModaLisboa aberto à população

O próximo protocolo entre a Associação ModaLisboa e a Câmara Municipal de Lisboa deverá incluir novas formas de abrir a iniciativa à população, de acordo com uma moção do CDS aprovada hoje, por unanimidade, em reunião da autarquia. O CDS considera que “os convites constituem um obstáculo para que mais pessoas possam assistir aos desfiles”, […]

O próximo protocolo entre a Associação ModaLisboa e a Câmara Municipal de Lisboa deverá incluir novas formas de abrir a iniciativa à população, de acordo com uma moção do CDS aprovada hoje, por unanimidade, em reunião da autarquia.

O CDS considera que “os convites constituem um obstáculo para que mais pessoas possam assistir aos desfiles”, refere o vereador democrata cristão João Gonçalves Pereira.

“Entendemos que este evento, onde há grande empenho financeiro e logístico da Câmara Municipal de Lisboa, deverá ter parte dedicada à população”, afirma.

Segundo a moção, apresentada por João Gonçalves Pereita, a que o OJE teve acesso, “o CDS-PP entende que o evento ModaLisboa deve passar a ter uma iniciativa destinada à população em geral, no recinto do evento, a partir do ano de 2016, permitindo assim que os cidadãos usufruam da Lisboa Fashion Week, em toda a sua plenitude”.

Já a vereadora da Educação, Economia e Inovação, Graça Fonseca (PS), recorda que “nas últimas edições a ModaLisboa teve vários momentos abertos à população”, dando como exemplo o desfile de Nuno Gama, em março, no Terreiro do Paço. Além disso, a iniciativa tem “presenças no espaço público”. “Organiza conferências e tem um ‘showroom’ aberto ao público [durante os dias que dura a iniciativa]. Acho muito injusto que se assuma que a ModaLisboa é um evento totalmente fechado ao público”, diz.

Graça Fonseca refere também que o “modelo que [a ModaLisboa] tem é o seguido em praticamente todas as semanas da moda, que existem de profissionais para profissionais”. Apesar disso, a ModaLisboa “tem feito esse esforço” de se abrir ao público, afirma.

O vereador centrista explica que a moção apresentada teve contributos da diretora da ModaLisboa, Eduarda Abbondanza. João Gonçalves Pereira sublinha o “espírito aberto e de ponderação” da responsável.

De acordo com o vereador, Eduarda Abbondanza terá sugerido que “o desfile de abertura possa ser aberto à população, uma espécie de ‘best of’ com a participação dos designers de moda que participam na iniciativa”.

A moção hoje aprovada só será aplicada no próximo protocolo a ser estabelecido entre a câmara e a ModaLisboa. No entanto, para o vereador do CDS-PP, “seria importante a Câmara de Lisboa envidar esforços para que isto possa ser feito mais cedo”.

A 30 de janeiro foi aprovado um novo protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Associação ModaLisboa, que prevê a realização de seis edições (duas em 2013, duas em 2014 e duas em 2015).

O financiamento da autarquia à 42.ª edição (de março), assim como à 43.ª (de outubro), foi de 317.500 euros.

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.