CDS/Congresso: PS nota falta de propostas e lembra governo “que mais empobreceu” o país

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, afirmou este domingo que viu muitas preocupações, mas “nenhuma medida concreta” no Congresso do CDS-PP e defendeu que Assunção Cristas integrou o governo “que mais empobreceu” o país.

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas (2D), acompanhada por Adolfo Mesquita Nunes (D), Nuno Melo (2E) e por Telmo Correia (E) durante os trabalhos do 27.º Congresso Nacional do CDS-PP, em Lamego, 10 de março de 2018. NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

Foi uma reação muito crítica a assumida pela secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, face às declarações de  Assunção Cristas no encerramento do 27.º Congresso do CDS-PP.

No final da reunião-magna que terminou, este domingo, em Viseu, Ana Catarina Mendes disse que viu muitas preocupações, mas “nenhuma medida concreta” no Congresso do CDS-PP  e defendeu que Assunção Cristas integrou o governo “que mais empobreceu” o país.

“Vemos muitas preocupações, mas não vemos nenhuma medida concreta para resolver os problemas das populações. Não podemos deixar passar aqui que a mesma Assunção Cristas que hoje se dirigiu aos congressistas e ao país pedindo mais igualdade e respeito pelas pessoas foi a mesma que fez parte de um governo que mais empobreceu o país”, afirmou.

A deputada Ana Catarina Mendes, que encabeçou a delegação do PS ao congresso democrata-cristão, devolveu ao CDS-PP as acusações de “imobilismo” que Assunção Cristas tinha feito aos socialistas e apelou para que “não se perca a memória”.

“Ouvir hoje a doutora Assunção Cristas falar da sua preocupação com o interior ou com a floresta é verdadeiramente notável para quem não se esquece daquilo que foi a inação, esse sim o imobilismo de Assunção Cristas pela pasta das florestas”.

“A ambição é saudável, mas não percamos a memória e a memória é que Assunção Cristas fez parte de um governo que mais mal fez e maior retrocesso social provocou”, disse, frisando que o caminho que o PS está a fazer “está a ter resultados positivos”.

 

 

Ler mais
Relacionadas

CDS: direção de Cristas eleita com menos de 90% e perde três lugares no Conselho Nacional

Há dois anos, a direção de Assunção Cristas tinha sido eleita com 95,59% dos votos.

Congresso. Assunção Cristas propõe-se liderar “o centro e a direita”

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, apresentando a moção de estratégia global, assumiu ser pragmática porque quer “chegar a todos” e não ser um partido de “nicho”.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários