Central de Cervejas compra Águas Castello

Esta marca de água gaseificada vendeu cerca de cinco milhões de litros em 2018, o que representa uma quota de cerca de 7% em volume do mercado das águas com gás em Portugal, de acordo com os dados da AC Nielsen.

A Central de Cervejas acaba de anunciar a compra da empresa que detém a concessão e a marca Águas Castello. Não foi revelado o valor da transação.

“A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, que no seu grupo integra a Novadis, a Sociedade de Água de Luso e a Hoppy House Brewing, acabou de adquirir a um grupo de investidores privados liderado pela Capital Criativo, 100% do capital da Mineraqua Portugal, que detém a concessão e a marca Água Castello, uma marca centenária de água mineral natural gaseificada, histórica e de referência no mercado nacional”, adiante um comunicado da cervejeira.

De acordo com este documento, “a aquisição da concessão e da marca Água Castello fortalece a presença da Central de Cervejas no mercado das águas minerais naturais em Portugal, reforçando um portefólio que já integra a Água de Luso e Água do Cruzeiro”.

Segundo os responsáveis da Central de Cervejas, “esta marca de água gaseificada vendeu cerca de cinco milhões de litros em 2018, o que representa uma quota de cerca de 7% em volume do mercado das águas com gás em Portugal, de acordo com os dados da AC Nielsen.

A Água Castello tem a sua unidade de enchimento em Pisões, Moura, no Alentejo, “ecossistema que confere características únicas e diferenciadas a esta água mineral natural gaseificada”, conclui o referido comunicado.

Recomendadas

Makro reforça ligação a empresários de hotelaria e restauração

O objetivo da cadeia grossista é reforçar a relação com os seus clientes, donos de negócios próprios, dando visibilidade a empresários do setor hoteleiro e da restauração a nível nacional, de forma a promover a gastronomia em Portugal.

Produtores nacionais de carne fresca de aves já podem exportar para o Chile

O Ministério da Agricultura considera que este país sul-americano é um importante mercado, com um potencial de 17 milhões de consumidores, que recebe, pela primeira vez, exportações de carne fresca de aves nacionais.

Greve de motoristas: CAP defende “tratamento separado”

“Era preferível que não houvesse greve. Mas se houver greve, queremos que o setor da agricultura tem de ter um tratamento completamente separado”, defendeu há minutos, Eduardo Oliveira e Sousa, presidente da CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, em entrevista à SIC Notícias, sobre a greve dos camionistas de matérias perigosas agendada a partir […]
Comentários