China faz pressão sobre a Europa para uma aliança comercial anti-norte americana

Membros do governo chinês reuniram com a União Europeia (EU) tendo em vista uma proposta em conjunto contra as politicas comerciais do presidente Donald Trump. Uma nova cimeira está marcada para Pequim nos dias 16 e 17 de julho.

Guerra Comercial EUA-China

A China está a pressionar a Europa para lançar uma ação conjunta contra os Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio (OMC). Segundo a “Reuters”, membros do governo chinês, entre os quais o vice-primeiro-ministro Liu He e o vereador Wang Yi, propuseram uma aliança entre as duas potências económicas, oferecendo uma maior abertura do mercado chinês, num gesto de boa vontade.

As reuniões tiveram lugar em Bruxelas, Berlim e Pequim, com o objetivo para que a União Europeia (UE) se una à China contra as politicas comerciais que estão a ser seguidas pelos Estados Unidos da América. No entanto, a proposta foi rejeitada, de acordo com as declarações de alguns funcionários à “Reuters”. Uma nova cimeira sino-europeia está agendada para os dias 16 e 17 de julho, em Pequim.

As autoridades da União Europeia esperam que dessa reunião saia um comunicado conjunto, onde seja realçado um compromisso de ambos os lados, com o sistema multilateral de comércio e a promessa de ser criado um grupo de trabalho para modernizar a OMC. A televisão estatal chinesa tem passado a mensagem de que a UE está ao lado da China, o que deixou o maior bloco comercial do mundo numa posição delicada.

“A China quer que a União Europeia fique ao lado de Pequim contra Washington. Nós não vamos fazer isso e foi o que dissemos”, referiu um diplomata europeu à “Reuters”.

Relacionadas

União Europeia e Canadá formalizam na OMC queixas contra Estados Unidos

A denúncia contra os EUA na Organização Mundial do Comércio em Genebra é a resposta à medida protecionista de Donald Trump por parte de Bruxelas e Otava.

Crédito y Caución acredita que o comércio mundial vai continuar a crescer de forma robusta

O último relatório divulgado pela Crédito y Caución baseia a perspetiva otimista em três fundamentos: os efeitos limitados da incerteza política na tomada de decisões económicas, o sólido crescimento dos Estados Unidos e a contribuição significativa da China para o comércio mundial.

Zona euro é “especialmente vulnerável” às tensões comerciais, diz instituto alemão Ifo

“A zona euro poderá estar especialmente vulnerável às atuais tensões comerciais, devido à sua abertura e à relevância do investimento e das exportações como motores da expansão económica”, referiu o Ifo
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários