Chuva, granizo e trovoada coloca quatro distritos do continente sob aviso amarelo

Quatro distritos de Portugal continental estão esta terça-feira sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, granizo e trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, os distritos de Bragança, Guarda, Vila Real e Castelo Branco vai estar entre as 12h00 e as 21h00 de hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

O aviso amarelo é emitido sempre que há situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O Instituto prevê para hoje no continente períodos de céu muito nublado, apresentando-se geralmente muito nublado nas regiões Norte e Centro e condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros, que poderão ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada nas regiões do interior, em especial do Norte e Centro durante a tarde.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado do quadrante oeste, neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais e pequena descida da temperatura máxima.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 08 graus celsius (na Guarda) e os 14 (no Porto) e as máximas entre os 15 graus (na Guarda) e os 22 (em Faro).

Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários