Cinco capacetes brancos sírios mortos em ataque na província de Alepo

O Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH) confirmou que morreram cinco capacetes brancos, esclarecendo ainda que a região onde se localiza o centro de defesa civil é controlada pelo grupo Hayat Tahrir al-Cham (ex-ramo sírio da Al-Qaida) e por outros grupos terroristas.

Khalil Ashawi/Reuters

Cinco capacetes brancos sírios morreram hoje num ataque feito por homens não identificados contra um centro de defesa civil na província de Alepo (norte), afirmou este sábado uma organização de socorristas que trabalham numa zona rebelde.

“Um horrível massacre ocorreu ao amanhecer, quando um grupo armado e desconhecido atacou um centro de defesa civil na vila de Tal Hadya, na província de Alepo, matando cinco capacetes brancos e ferindo dois outros”, disse na rede social Twitter a organização de socorristas.

O Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH) confirmou que morreram cinco capacetes brancos, esclarecendo ainda que a região onde se localiza o centro de defesa civil é controlada pelo grupo Hayat Tahrir al-Cham (ex-ramo sírio da Al-Qaida) e por outros grupos terroristas.

Segundo o diretor do centro atacado, Ahmad al-Hamiche, apesar de tudo, dois capacetes brancos conseguiram fugir.

“Os atacantes, que estavam mascarados, fugiram após roubar os equipamentos e geradores elétricos”, disse também à AFP aquele responsável.

Desde a sua formação em 2013, mais de 200 capacetes brancos morreram em diversos confrontos, mas este tipo de ataques é “muito raro”, esclareceu Ahmad al-Hamiche.

Em agosto, sete elementos das equipas de resgate morreram no noroeste da província de Idleb, atingidos por disparos de homens não identificados.

Candidatos ao Prémio Nobel da Paz em 2016, os capacetes brancos saíram do anonimato graças aos vídeos transmitidos nas redes sociais, que os mostravam com capacetes brancos na cabeça correndo em locais bombardeados para resgatarem e salvarem sobreviventes, sobretudo crianças soterradas nos escombros de edifícios bombardeados.

Os socorristas insistem na sua neutralidade e dizem que não pertencem a nenhum grupo político ou armado.

Mas o regime sírio de Bashar al-Assad e a Rússia acusam os capacetes brancos de estarem ligados a grupos ‘jihadistas’ ou de serem “marionetas” nas mãos de governos estrangeiros que apoiam a oposição.

Ler mais
Relacionadas

António Guterres critica movimento xiita libanês Hezbollah por ser milícia e partido

O secretário-geral da ONU criticou fortemente o movimento fundamentalista xiita Hezbollah por funcionar como milícia armada e partido político no Líbano, e pediu que suspenda as atividades militares que exerce, dentro e fora do país.

“Estamos interessados em parcerias para a reconstrução da Síria”

A Turquia não desiste das relações económicas com o Ocidente. Os empresários portugueses podem vir a ser parceiros privilegiados, diz o presidente do ISPAT, a AICEP turca, em entrevista exclusiva.

Respostas Rápidas: Porque é que os EUA transferiram a embaixada israelita para Jerusalém?

O dia em que os Estados Unidos abriram a nova embaixada norte-americana em Israel, transferindo-a de Telavive para Jerusalém, hoje, é também o dia em que mais palestinianos foram mortos em confrontos com as tropas israelitas desde a guerra de 2014. Não é uma coincidência.
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários