Comissão de Gestão do Sporting não quer ex-presidente e ‘vice’ nos núcleos

“Esclarecemos que a suspensão dos membros do ex-Conselho Diretivo (CD) destituído resultou da participação de sócios na plenitude dos seus direitos, e que é absolutamente legal e estatutária, tendo a respetiva legitimidade sido sufragada por decisões judiciais sucessivas”, pode ler-se no comunicado da CG, que sentiu necessidade de fazer este esclarecimento na sequência de dúvidas levantadas por vários núcleos.

José Romeira

A Comissão de Gestão (CG) do Sporting confirmou hoje, através de um comunicado, que os núcleos do clube não podem, nem devem admitir ações de propaganda, campanha ou outras por parte de quem está suspenso do clube.

“Esclarecemos que a suspensão dos membros do ex-Conselho Diretivo (CD) destituído resultou da participação de sócios na plenitude dos seus direitos, e que é absolutamente legal e estatutária, tendo a respetiva legitimidade sido sufragada por decisões judiciais sucessivas”, pode ler-se no comunicado da CG, que sentiu necessidade de fazer este esclarecimento na sequência de dúvidas levantadas por vários núcleos.

Em causa, a suspensão preventiva decretada pela comissão de fiscalização do ex-presidente e ex-vice-presidente do CD, Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, que anunciaram a intenção de se candidatar às eleições para a presidência do Sporting marcadas para 08 de setembro, encabeçando cada um a sua lista, e que têm contestado a decisão daquele órgão que substitui interinamente o Conselho Fiscal e Disciplinar.

A CG esclarece que o Regulamento Disciplinar está em vigor desde 17 de fevereiro de 2018, data em que foi aprovado por iniciativa do anterior CD, cujo artigo 20.º prevê expressamente a figura da suspensão preventiva, ao contrário do que tem sido propalado por alguns dos membros suspensos.

Entretanto, os dois visados, Bruno de Carvalho e Carlos Vieira já reagiram, no Facebook, ao comunicado da CG, o primeiro para lamentar “as mentiras que o mesmo contém e com efeito nulo quanto à legalidade do que pretende exigir aos núcleos”, considerando que o Sporting “não pode viver, através de pessoas que não foram eleitas pelos seus sócios, dias de total falta de democracia e desrespeito pela Lei e pelos sportinguistas”, certo de que estes “saberão impedi-lo”.

“Tenho a certeza de que todos os candidatos vão ainda hoje repudiar o teor do mesmo pela sua crença nos valores como democracia, pluralidade de ideias e acesso a todos à informação”, rematou Bruno de Carvalho.

Já Carlos Vieira fez saber que, apesar da insistência de alguns núcleos para que a sua lista de candidatura sob o lema ‘Sporting Primeiro’ mantivesse as ações de campanha, decidiu cancelá-las como contributo para um clima de serenidade e tranquilidade no clube, mesmo discordando a decisão da CG.

No entanto, promete que irá continuar a contactar sportinguistas e a pugnar pelos seus legítimos direitos.

Ler mais
Recomendadas

Arranca hoje a corrida do FC Porto pela Champions de olho em encaixe de 44 milhões

Sérgio Conceição e os seus homens estão a, pelo menos, 360 minutos de distância de poderem engordar a conta bancária dos azuis e brancos de forma generosa. Este encaixe financeiro é visto como fundamental pela SAD portista. 

Benfica celebra parceria com Placard por três anos

O Sport Lisboa e Benfica acaba de celebrar uma parceria com o Placard.pt que, nos próximos três anos, será o patrocinador oficial de apostas desportivas do clube. Segundo um comunicado do clube da Luz, “o Placard.pt marcará presença relevante tanto no ‘site’ oficial, como nas várias plataformas digitais do Benfica, sendo que ambas as entidades […]

Estádio do Estrela da Amadora na Reboleira vai a leilão por seis milhões de euros

No decorrer de um processo de insolvência do Estrela da Amadora, foi fundado um novo clube, o Clube Desportivo Estrela, que usa as instalações da Reboleira.
Comentários