Congresso do PS: Ana Catarina Mendes lidera lista de António Costa para a Comissão Nacional

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, vai encabeçar a lista do líder socialista, António Costa, para a Comissão Nacional do partido, na qual as mulheres representam cerca de 37% do total de membros. Na Comissão Nacional do PS, o órgão máximo socialista entre congressos e que é constituído por 251 elementos efetivos, o […]

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, vai encabeçar a lista do líder socialista, António Costa, para a Comissão Nacional do partido, na qual as mulheres representam cerca de 37% do total de membros.

Na Comissão Nacional do PS, o órgão máximo socialista entre congressos e que é constituído por 251 elementos efetivos, o presidente, Carlos César, e o secretário-geral socialista têm inerência.

Segundo fonte oficial dos socialistas, após o nome de Ana Catarina Mendes, segue-se na lista proposta por António Costa um representante a indicar pela estrutura dos Açores e outro da Madeira.

Após o segundo e terceiros lugares das regiões autónomas, cada uma das federações do território continental designa um elemento, sendo aplicado o critério da ordem alfabética. Ou seja, começa-se Algarve e termina-se na de Viseu.

Em relação ao conjunto de nomes de candidatos à Comissão Nacional, mas também às comissões de Fiscalização Económica e Financeira e de Jurisdição – dois órgãos nacionais que também serão votados no domingo de manhã -, a percentagem de mulheres no conjunto destas três listas a apresentar por António Costa vai atingir os 40%.

Para a Comissão Nacional, a lista de António Costa vai enfrentar uma outra apresentada pelo dirigente socialista Daniel Adrião, que em 2016 alcançou 8% dos votos dos delegados.

Ler mais
Relacionadas

Cafôfo é o candidato socialista na Madeira e promete “coligação com sociedade civil” se ganhar

O agora autarca no Funchal estabeleceu como prioridades a aposta na economia tornar a Madeira mais competitiva, investir na edução e na saúde.

Francisco Assis quer PS a governar sozinho, sem entendimentos preferenciais

“A solução [de Governo] é má, mas o primeiro-ministro é bom. Imagino o grande primeiro-ministro que poderás ser sem esta limitação da geringonça”, disse Francisco Assis, dirigindo-se a António Costa.

“Isto não é radicalismo, é ser socialista”, diz Pedro Nuno Santos

O dirigente socialista Pedro Nuno Santos fez hoje a defesa da solução governativa do PS e considerou que defender o serviço público “não é radicalismo, é ser socialista”.

PS: Alegre adverte que viragem à direita representaria risco de morte do partido

“O PS não pode inverter o caminho atual. Uma viragem à direita representaria um risco de morte para o PS, porque o Bloco Central empobrece a democracia e o ‘centrão’, hoje, ou em qualquer lado do mundo, significa empobrecimento do sistema e a ascensão do populismo”, advertiu o ex-candidato presidencial.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários