Construção: crescimento das obras concluídas abrandou no último trimestre de 2017

No quarto trimestre de 1017, o setor da construção, em matéria obras licenciadas e concluídas, registou uma redução de 2,4% nos edifícios licenciados e um crescimento de 19,6% nos edifícios concluídos.

O ritmo de crescimento do número de edifícios concluídos em Portugal abrandou 3,6 pontos perncetuais no último trimestre do ano passado, face aos três meses imediatamente anteriores, para 19,6%, segundo os dados preliminares divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No último trimestre de 2017 foram concluídos 3,4 mil edifícios.

O número de edifícios licenciados regrediu 2,4% no período em análise, o que compara com um aumento de 7,3% no terceiro trimestre.

Foram licenciados 4,3 mil edifícios.

Nos edifícios licenciados para construções novas registou-se um acréscimo de 2,0%, sendo que no trimestre anterior a subida tinha sido de 15,4%, enquanto no licenciamento para reabilitação se agravou a tendência de quebra, numa diminuição de 12,4%, acima do recuo de 5,4% já registado no terceiro trimestre de 2017.

Os dados preliminares apontam ainda para, comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados ter diminuído 4,8%, sendo que já havia registado uma descida de 4,6% no terceiro trimestre, enquanto nos edifícios concluídos se observou uma variação positiva de 0,7%, bem inferior à subida de 14,8% registada no trimestre anterior.

Ler mais
Recomendadas

Maior edifício português em madeira construído em Lisboa

Para a Carmo Wood “é uma honra poder colocar o seu ‘expertise’, reconhecido a nível nacional e internacional na execução de uma obra que será certamente um marco na construção em madeira em Portugal”, afirma Jorge Milne e Carmo, presidente da empresa.

PremiumBanco gerido por portugueses apoia Mota-Engil na Costa do Marfim

A construtora é o maior investidor nacional no país africano, que volta a ter uma embaixada portuguesa, e tem apoio do BDA, liderado por Vasco Duarte Silva.

Índice de preços na produção industrial desaceleram depois do crescimento em abril

Excluindo o agrupamento de energia, os preços na produção industrial apresentaram um aumento de 0,6%, menos 0,1 p.p. que o observado no mês anterior.
Comentários