Costa: “O PS tem um longo historial de combate à corrupção”

Questionado pela SIC sobre casos recentes relacionados com membros do PS, o primeiro-ministro afirmou considerar que não fragilizam o partido.

António Costa defendeu este sábado que o combate à corrupção é essencial e permanente ao funcionamento da democracia. Deixou, no entanto, claro que o foco do partido socialista neste questão em nada está relacionado com casos de investigação como o do ministro Pedro Siza Vieira.

“O combate à corrupção é essencial em qualquer democracia porque a corrupção mina a confiança dos cidadãos na democracia e distorce a concorrência na economia”, afirmou o primeiro-ministro, em declarações à SIC Notícias, à margem do 22º Congresso Nacional do PS.

O PS tem sido abalado por uma série de casos, incluindo os reembolsos de viagens a deputados das ilhas e a incompatibilidade detetada por o ministro Pedro Siza Vieira fazer parte dos corpos sociais de uma empresa por si criada. Além destes, ex-governantes, como José Sócrates e Manuel Pinho, estão a ser investigados pelo Ministério Público.

Questionado sobre casos recentes relacionados com membros do PS, Costa respondeu: “não creio que fragilize o partido socialista, que tem um longo historial de combate à corrupção”.

“Quanto a casos concretos, não falo porque uns estão em investigação criminal e a justiça deve tratar daquilo que lhe compete e outros porque são lapsos que compete ao Tribunal Constitucional avaliar têm ou não qualquer relevância do ponto de vista sancionatório. Aguardamos tudo serenamente”, acrescentou.

A entrevista de António Costa à SIC Notícias seguiu a um discurso com a mensagem pelo presidente do PS. Carlos César definiu como missão central o reforço da transparência da atividade política, em particular dos atos e decisões das entidades públicas, alegando que esta é a única via eficaz para travar os populismos.

César define como prioritária reforma pela transparência na atividade política

Ler mais
Relacionadas

César define como prioritária reforma pela transparência na atividade política

Carlos César discursou na abertura do segundo dos três dias de trabalhos do 22º Congresso Nacional do PS, depois de ter sido reeleito presidente deste partido com mais de 96% dos votos.

Congresso do PS: Carlos César reeleito presidente do partido

Carlos César recebeu um forte aplauso da sala, ainda não completamente cheia, quando foi lido o seu nome.

António Costa defende eutanásia, descentralização e igualdade de oportunidades no Congresso do PS

Foi um discurso marcadamente ideológico e triunfalista o de António Costa na abertura do Congresso do Partido Socialista. Com muitos recados à esquerda e à direita.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários