Crédito concedido às famílias portuguesas sobe em maio

Segundo a informação divulgada esta terça-feira pelo Banco de Portugal, variação anual do crédito à habitação subiu 0,2 pontos percentuais, mas manteve-se negativa em -1,2%.

Dado Ruvic/Reuters

A variação anual dos empréstimos concedidos pelo setor financeiro às famílias portuguesas aumentou 0,2 pontos percentuais em maio, para 0,4%, relativamente ao mês anterior, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal (BdP).

“Por finalidade, verificou-se uma evolução similar: a taxa de variação anual do crédito à habitação aumentou 0,2 pontos percentuais para -1,2% e a taxa de variação anual do crédito ao consumo e outros fins aumentou 0,3 pontos percentuais para 6,9%”, explica o banco central, numa nota.

No que diz respeito às empresas, em maio deste ano, os bancos também consentiram mais dar empréstimos. A taxa de variação anual do crédito concedido às sociedades não financeiras aumentou ligeiramente (0,1 pontos percentuais), quando comparada com o mês de abril, mas manteve-se negativa nos -1,7%.

Em comunicado tornado público esta manhã, o regulador bancário adiantou ainda que a percentagem de devedores com crédito vencido baixou 1,3 pontos percentuais em maio, para 23,5%, e que as empresas privadas exportadoras assinalaram uma taxa de variação anual de -0,1%, o que significa um avanço de 0,2 pontos percentuais face a abril.

As novas regras (mais apertadas) para a concessão de novos créditos à habitação entraram este domingo, dia 1 de julho, em vigor. A data foi imposta pelo BdP na recomendação, aprovada em fevereiro, que introduz limites a alguns dos critérios usados na avaliação de solvabilidade dos clientes, abrangendo a concessão de novos créditos à habitação, créditos com garantia hipotecária e créditos ao consumo. Para conhecer melhor as mudanças, consulte a síntese elaborada pelo Jornal Económico.

Fonte: Banco de Portugal

Ler mais
Relacionadas

Crowdlending: saiba como obter um empréstimo sem ir ao banco

As plataformas de financiamento colaborativo estão na moda, mas o risco é elevado e obrigam a algumas precauções.

Défice português fica em 0,9% do PIB no primeiro trimestre do ano

O Governo comprometeu-se com um défice de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. O valor compara com o défice de 3% registado em 2017, incluindo a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos.
Recomendadas

Cinco anos da resolução do BES: os principais rostos de uma história que abalou Portugal

No dia 3 de agosto de 2014, Carlos Costa, governador do Banco de Portugal, anunciou em direto televisivo o colapso do BES e o nascimento do Novo Banco através de uma injeção de 4.900 milhões. Conheça alguns dos intervenientes desta história que aqueceu ainda mais o verão em Portugal.

Cerberus dá preço mais alto pelos imóveis do Novo Banco

O Novo Banco está na fase final das negociações com dois candidatos – Cerberus e Bain – para escolher o comprador do portfólio de imóveis conhecido por “Sertorius”.

Saída em bloco de quadros no Crédit Suisse em Portugal

O Crédit Suisse em Portugal vai perder 10 quadros, a partir de agosto. Equipa de gestão de fortunas liderada por Gonçalo Maleitas Correia deverá ir para o concorrente Julius Baer, em Madrid.
Comentários