Cuba acusa Trump de “retórica hostil” a fazer lembrar tempos de “confronto aberto”

As declarações de Raul Castro surgem na sequência da denúncia de Donald Trump de que o acordo com Cuba, promovido pelo seu antecessor, Barack Obama, era “brutal” e que “não ajudava os cubanos e enriquecia o regime”. O presidente norte-americano prometeu ainda “denunciar os crimes do regime Castro”.

O presidente de Cuba, Raul Castro, rejeitou esta sexta-feira a “retórica hostil” do homólogo norte-americano, Donald Trump, considerando que as políticas que anunciou contra Havana fazem lembrar “os tempos de confronto aberto”. Raul Castro sublinhou que quer manter um “diálogo respeitoso” com os Estados Unidos em assuntos de interesse mútuo.

Em comunicado, a administração de Raul Castro adota um tom conciliatório, afirmando que “os últimos dois anos mostraram que os dois países podem cooperar e coexistir de forma civilizada” e que o presidente cubano está empenhado em que as boas relações se mantenham.

As declarações de Raul Castro surgem na sequência da denúncia de Donald Trump de que o acordo com Cuba, promovido pelo seu antecessor, Barack Obama, era “brutal” e que “não ajudava os cubanos e enriquecia o regime”.

Donald Trump prometeu ainda que “os Estados Unidos vão denunciar os crimes do regime Castro” e o sofrimento imposto aos cubanos “durante cerca de seis décadas”.

Ben Rhodes, um dos principais negociadores do acordo histórico com Cuba durante a Administração Obama, já criticou a decisão de Trump, considerando que esta devolve a relação bilateral “à prisão do passado” e dá ao castrismo “uma oportunidade” para se reforçar no poder.

Relacionadas

Trump anuncia alterações ao acordo de Obama com Cuba

“Com a ajuda de Deus vamos ter uma Cuba livre”, disse o presidente norte-americano. Trump vai restringir o comércio com a ilha e afirma que vai manter as sanções sem romper relações.
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários