De Cavaco a Passos passando por Salgado: estes foram os principais protagonistas da resolução do BES

Este sábado marca o quinto aniversário da resolução do Banco Espírito Santo. Recorde os principais protagonistas e o seu papel no episódio mais marcante da história da banca portuguesa.

No dia 3 de agosto de 2014, Carlos Costa, governador do Banco de Portugal, anunciou em direto televisivo o colapso do BES e o nascimento do Novo Banco através de uma injeção de 4.900 milhões. Conheça alguns dos intervenientes desta história que representa um marco da banca  em Portugal.

Relacionadas

Grandes Devedores: BES Angola gera 2,9 mil milhões de perdas ao Novo Banco

O BES Angola é o grande devedor responsável pelas maiores perdas do Novo Banco. Já no BCP e no BPI foi a Grécia a que mais perdas gerou. A Caixa e o Novo Banco são as instituições mais expostas aos grandes devedores, com perdas efetivas referentes à última ajuda pública, de 1,9 mil milhões e de 3,5 mil milhões de euros, respetivamente.

Lista secreta de devedores da banca deverá ser hoje divulgada de forma agregada, sem nomes e créditos individuais

Só deverão ser divulgados dados agregados, não individualizando devedores e respectivas operações dos sete bancos que receberam ajudas públicas nos últimos 12 anos. Valor total de créditos concedidos e valor agregado de perdas deverão ser hoje conhecidos.

Fundo de Resolução com prejuízos de 106 milhões em 2018

Fundo de Resolução com buraco de 6,1 mil milhões de euros. Os prejuízos somam 106 milhões de euros.
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários