Despesas com obras, bens e serviços subiram 25% no primeiro trimestre de 2018

Número de procedimentos publicados diminuiu para menos de 35 mil contratos nos primeiros três meses, enquanto o peso dos ajustes diretos caiu para os 77%.

Ao todo foram gastos 1.713 milhões de euros em empreitadas de obras e com a aquisição de bens e serviços nos primeiros três meses do ano. Um acréscimo de 352 milhões de euros (25,8%), em relação ao período homólogo de 2017, revela o “Jornal de Negócios”.

Os dados da Contratação Pública, revelados pelo Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) indica que foram publicados até março 30.495 contratos. Uma quebra de 2,3% (733 contratos) comparado com o mesmo período do último ano.

No entanto, registou-se em termos de valor 438 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, mais 117 milhões (36,4%) do que no período homólogo de 2017.

Relativamente aos contratos de bens e serviços registaram-se 28.302 contratos de aquisição, com um encargo de 1.275 milhões de euros.

Recomendadas

Maior edifício português em madeira construído em Lisboa

Para a Carmo Wood “é uma honra poder colocar o seu ‘expertise’, reconhecido a nível nacional e internacional na execução de uma obra que será certamente um marco na construção em madeira em Portugal”, afirma Jorge Milne e Carmo, presidente da empresa.

PremiumBanco gerido por portugueses apoia Mota-Engil na Costa do Marfim

A construtora é o maior investidor nacional no país africano, que volta a ter uma embaixada portuguesa, e tem apoio do BDA, liderado por Vasco Duarte Silva.

Índice de preços na produção industrial desaceleram depois do crescimento em abril

Excluindo o agrupamento de energia, os preços na produção industrial apresentaram um aumento de 0,6%, menos 0,1 p.p. que o observado no mês anterior.
Comentários