Disparo da NOS continua a impulsionar PSI 20 numa Europa em correção

O índice nacional contraria as praças europeias, motivado pela NOS, que apresentou os lucros acima do esperado no primeiro semestre do ano.

Brendan McDermid/Reuters

A meio da sessão desta segunda-feira, dia 23 de julho, a bolsa nacional está a negociar com sentimento positivo, enquanto as congéneres europeias seguem no ‘vermelho’. O principal índice nacional, PSI 20, valoriza 0,74% para 5.647,04 pontos, beneficiando do disparo de quase 5% da NOS e dos ganhos do BCP.

“O índice nacional acaba por contrariar o sentimento, motivado pela NOS que responde aos lucros acima do esperado e melhoria de margem”, afirma Ramiro Loureiro, analista do Mtrader, do Millennium BCP, recordando ainda que na passada sexta-feira o Goldman Sachs emitiu uma nota bastante positiva para as ações da telecom.

A NOS sobe 5,15% para 5,005 euros, após ter comunicado que no primeiro semestre teve um lucro de 78,9 milhões de euros, o que representa um crescimento de 9,2% face ao mesmo período do ano passado.Em relação às receitas de exploração, a NOS registou uma subida de 0,6% para 772,3 milhões de euros, em comparação com o período homólogo do ano passado. A maior subida de receitas deu-se nas telecomunicações (1,4% para 739,9 milhões).

O BCP acompanha os ganhos, ao subir 1,93% para 0,269 euros. Também o setor da energia está em alta. A EDP ganha 0,87% para 3,463 euros, a Galp Energia sobe 0,12% para 16,980 euros e a REN valoriza 0,08% para 2,486 euros.

A negociar no ‘verde’ estão também a Pharol (2,80%), a Sonae (0,96%), a Altri (0,45%), os CTT (0,62%), a Corticeira Amorim (0,36%), a F. Ramada (0,98%), a Mota-Engil (0,35%) e a Sonae Capital (1,08%).

A contrabalançar os ganhos destaca-se a Jerónimo Martins. A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos perde 0,34% para 13,200 euros. No ‘vermelho’ estão também a Navigator (-0,54%), a EDP Renováveis (-0,11%), a Ibersol (-0,48%) e a Semapa (-0,69%).

Nas restantes bolsas europeias, o índice alemão DAX perde 0,17%, o francês CAC 40 desvaloriza 0,54%, o espanhol IBEX 35 deprecia 0,25%, o italiano FTSE MIB cai 0,43%, o holandês AEX cai 0,07% e o britânico FTSE 100 regista uma variação negativa de 0,21%.

“Mantém-se o ambiente de correção nas praças europeias com o escalar de tensões entre os Estados Unidos e o Irão a condicionar o sentimento. Os investidores aguardam pelos números da Alphabet, dona do Google, após o fecho de Wall Street”, sublinha Ramiro Loureiro.

A cotação do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, valoriza 1,31% para 74,03 dólares, enquanto a do crude WTI ganha 1,07%, para 68,99 dólares por barril.

No mercado cambial, o euro negoceia inalterado nos 1,172 dólares e a libra aprecia 0,12%, para 1,314 euros.

Ler mais

Relacionadas

NOS sobe 9,2% os lucros para 79 milhões no semestre

No segundo trimestre as receitas cresceram para 389 milhões de euros, com os proveitos das telecomunicações a crescer 1,8% para 374,2 milhões de euros, impulsionados pelo aumento da base de clientes da NOS neste período.

Tecnológicas crescem, mas lucros menos robustos podem travar as bolsas

Quatro gigantes tecnológicas – Alphabet, Facebook, Amazon e Twitter – apresentam contas esta semana. Entre as que já as fizeram as tendências foram contrárias: a Microsoft disparou para máximos de sempre, enquanto a Netflix tombou em bolsa.

Respostas Rápidas: o que se passa desta vez entre o Irão e os Estados Unidos?

Subitamente, Donald Trump voltou ao Twitter para ameaçar o Irão com uma espécie de fogo e fúria parte II – a parte I foi com a Coreia do Norte – depois de algumas semanas em que os dois países aparentavam ter optado por ignorar a existência um do outro.

“Nunca mais ameacem os EUA ou vão sofrer!” Trump responde a presidente do Irão

O Presidente norte-americano, Donald Trump, advertiu no domingo o Irão para que “nunca volte a ameaçar os Estados Unidos” sob pena de “consequências tais como poucos conheceram ao longo da história”.

Pompeo avisa Irão que EUA não têm medo de impor sanções “ao mais alto nível”

Os Estados Unidos da América (EUA) “não têm medo” de impor sanções “ao mais alto nível” o regime de Teerão, alertou na noite de domingo o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários