Concessão de crédito especializado aumentou 11% no primeiro trimestre, para 2,4 mil milhões

Do financiamento concedido, o crédito clássico representou 34% nos primeiros três meses de 2018 (823 milhões de euros), o que corresponde a um aumento de 20% face ao período homólogo de 2017.

A concessão de crédito especializado em Portugal aumentou 11%, nos primeiros três meses de 2018, face a igual período do ano passado, para 2.423 milhões de euros, de acordo com os dados da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado, divulgados esta segunda-feira.

Em comunicado, a ASFAC explica que este aumento deve-se à “subida na generalidade dos vários tipos de crédito, nomeadamente no crédito clássico”.

O créditodestinado a comerciantes para reposição de stock foi o mais disponibilizado.

Do financiamento concedido, o crédito clássico representou 34% nos primeiros três meses de 2018 (823 milhões de euros), o que corresponde a um aumento de 20% face ao período homólogo de 2017.

O crédito stock representou 45,8% dos montantes concedidos nos primeiros três meses do ano, o que não foi suficiente para evitar que este crédito fosse o que apresentou menor crescimento (3,9%), face a 2017. O crédito revolving registou no uma subida de 15%.

A aquisição de meios de transporte continuou a liderar o destino dos montantes concedidos em crédito clássico com 67, 2% do total do financiamento, situando-se nos 553 milhões de euros, mais 16,6% do que no primeiro trimestre de 2017.

“É também o reflexo da dinamização da economia portuguesa e da consequente mobilização dos agentes económicos no sentido de financiarem os meios de transporte. Segue-se o crédito pessoal com 21,9% do financiamento pedido e o financiamento para a aquisição de artigos para o lar com 5,9%”, lê-se no comunicado da ASFAC.

Para o presidente da ASFAC, António Menezes Rodrigues, “estes números são a prova de que as instituições financeiras estão, cada vez mais, lado a lado com os agentes económicos e dos portugueses em geral, que estão a investir mais em bens de valor”.

E refere também que o “crescimento da procura dos comerciantes de automóveis pelo financiamento das instituições de crédito especializado prende-se com o bom desempenho da economia nacional”. O Presidente da ASFAC contou “que estes dados revelam que o setor do financiamento especializado está a contribuir fortemente para a revitalização da economia”.

 

 

Ler mais

Relacionadas

Plano Nacional de Formação Financeira é importante no contexto “da nova corrida ao ouro”, diz Governador

Numa clara alusão às criptomoedas, o Governador do Banco de Portugal que estava na reunião na qualidade de presidente do CNSF, disse que “o Plano Nacional de Formação Financeira hoje ainda se justifica mais, num contexto da ‘nova corrida ao ouro'”.

Crédito especializado aumenta 12,5% em janeiro, para 734 milhões

A ASFAC explica esta evolução com a “melhoria da economia portuguesa levando a um aumento do rendimento disponível das famílias”. O crédito a particulares aumentou 26,5%.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários