Dow Jones fecha no verde pela primeira vez em quatro sessões

Apesar dos ganhos do índice industrial, o fecho em Wall Street foi misto. O S&P 500 e o Nasdaq deslizaram 0,08% e 0,2%, respetivamente.

Lucas Jackson/Reuters

Wall Street fechou esta quarta-feira misto, com o índice industrial Dow Jones a ganhar pela primeira vez em quatro sessões. Por outro lado, o financeiro S&P 500 e o tecnológico Nasdaq prolongaram as perdas dos últimos dias e fecharam no vermelho.

Numa altura em que a força dada pela época de resultados começa a perder força, as principais bolsas norte-americanas têm-se focado em questões políticas. Os receios face à possibilidade de uma guerra comercial, acompanhado do despedimento do secretário de Estado Rex Tillerson, têm determinado as negociações em queda esta semana.

“O mercado está à procura de alguma coisa que o impulsione e o tire desta faixa de negociação”, afirmou o estrategista chefe de investimento da Janney Montgomery Scott, Mark Luschini, em declarações à agência Reuters.

Esta quinta-feira, esse fator foi uma entrevista do Conselheiro da Casa Branca, Peter Navarro, à CNBC, na qual afirmou que a abordagem dura de Trump em relação ao comércio global, incluindo o aumento das tarifas alfandegárias à importação de aço e alumínio, não iria necessariamente provocar retaliações.

Também os dados económicos ajudaram as bolsas norte-americanas, com os dados do desemprego semanais a caírem em comparação com a semana passada e os preços das importações em fevereiro, que deverão sustentam uma subida gradual da inflação.

Assim, o Dow Jones acabou por ganhar 0,47% para 24.873,66 pontos. Por outro lado, a notícia do New York Times de que o Conselho Especial Robert Mueller intimou a Organização Trump a entregar documentos incluindo sobre a Rússia, acabou por penalizar o S&P, que fechou com uma perda de 0,08% para 2.747,33 pontos, enquanto o Nasdaq cedeu 0,2% para 7.481,74 pontos.

Ler mais

Relacionadas

Ao quarto dia, Wall Street aliviou a pressão da possível guerra comercial

Principais praças norte-americanas abriram esta quinta-feira com ganhos, impulsionadas por dados económicos. As bolsas aliviam assim a pressão relacionada com o aumento das taxas alfandegárias nos EUA.

Lagarde: “Guerras comerciais são impossíveis de vencer”

Presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou para os riscos do protecionismo, pedindo aos líderes globais que trabalhem de forma construtiva para resolver os conflitos comerciais.

Europa e EUA vão reunir com aço e alumínio na agenda

Comissária europeia do Comércio e o seu homólogo norte-americano conversaram sobre as tarifas e decidiram reunir-se “na próxima semana” para discutir o assunto, explicou a fonte, sem dar detalhes sobre a data ou o local do encontro.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários