Economia portuguesa “já não tem desequilíbrios graves” afirma António Costa

Duas boas notícias no mesmo dia: a União Europeia deixou de considerar que a economia portuguesa tem desequilíbrios graves, e mais um investimento estrangeiro, desta vez no Porto – dos franceses da Nataxis – foi inaugurado.

A financeira francesa Natixis inaugurou esta quarta-feira o Centro de Excelência em Tecnologias de Informação (TI), na cidade do Porto, na presença do primeiro-ministro António Costa, dos secretários de Estado Teresa Lehmann e Brilhante Dias e do presidente da câmara local, Rui Moreira.

Durante a inauguração, António Costa teve oportunidade de repetir os motivos que levam o investimento estrangeiro a procurar cada vez mais Portugal para se instalarem – “ambiente de negócios amigável, segurança, infraestruturas tecnológicas e recursos humanos”. E teve também oportunidade de se congratular com o facto de, precisamente esta manhã, Portugal ter deixado de fazer parte do grupo dos países da União Europeia com “desequilíbrios graves na economia”.

O último relatório sobre a matéria da responsabilidade da União Europeia – hoje conhecido – transferiu Portugal para um nível acima (o dos países com desequilíbrios), que de algum modo é a média dos 28.

O Centro de Excelência da Natixis – divisão internacional de banca empresarial e de investimento, de gestão de ativos, de seguros e serviços financeiros do grupo BPCE – Banque Populaire e Caisse d’Epargne, o segundo maior grupo financeiro em França – surge para “apoiar a atratividade de Portugal como ecossistema de empreendedorismo e inovação, com vantagens competitivas, não só na perspetiva de infraestrutura e integração tecnológica, mas também no perfil de capital humano: formado em universidades de topo, muito qualificado em ciência e tecnologia, multilingue e com uma cultura profissional internacional”, segundo adianta o grupo francês.

Novos empregos: 600 até final de 2019

O centro, que já funciona há vários meses, “representa um dos principais investimentos em recursos humanos feitos pela empresa até aqui. Uma história de sucesso: a Natixis começou este projeto a partir do zero, e em apenas um ano, já contratou 300 pessoas. A Empresa pretende criar, até ao final de 2019, mais de 600 novos empregos qualificados nas áreas de tecnologia de informação em Portugal”.

De forma a gerar o conhecimento especializado em áreas de software específicas em que a Natixis está atualmente a trabalhar, a empresa está a dinamizar uma Academia de TI, com vista a partilhar o conhecimento tecnológico da Natixis sobre software específico e a formar os seus funcionários para suprimir essa lacuna. Esta Academia de TI consiste num programa de formação remunerado para recém-formados de cursos de TI, com uma duração de três meses e um contrato de trabalho garantido no final do programa.

Com mais de 17 mil funcionários em 38 países, a Natixis tem uma série de áreas de especialização organizadas em quatro linhas principais de negócio: gestão de ativos e património, banca empresarial e de investimento, seguros e serviços financeiros especializados.

O novo plano estratégico da Natixis coloca a inovação tecnológica e a digitalização como prioridade de topo para a empresa. Nesse sentido, a Natixis decidiu, em 2016, internalizar alguns dos seus serviços de tecnologias de informação, “até então prestados por fornecedores externos ou equipas dispersas geograficamente, com o objetivo de internalizar o domínio técnico em atividades core, aumentar a força de trabalho especializada, otimizar os custos de TI e melhorar a gestão de risco operacional”.

A Natixis optou por uma abordagem de ‘nearshoring’ para serviços tecnológicos, que resultou no desenvolvimento de um Centro de Excelência em TI “para fornecer soluções inovadoras para as operações de negócios da Natixis em todo o mundo”.

A Natixis em Portugal “é uma entidade cativa integrada, incluída na organização global, sob a responsabilidade das linhas de negócio e vista como uma extensão das equipas existentes, beneficiando dos pontos fortes da localização do Porto”.

A Natixis em Portugal “é uma entidade que trabalha para a Natixis de forma integrada, inclusiva e transversal, em todos os países em que a Empresa opera, e apoiando quatro unidades principais: banca empresarial e de investimento; banca de retalho; infraestrutura e segurança; e funções de apoio.

A decisão de instalar o Centro de Excelência em TI da Natixis em Portugal, na cidade do Porto especificamente, resultou de vários estudos e avaliações em diferentes países europeus, com base nos seguintes critérios: educação; inovação e empreendedorismo; adequação cultural com a França; e envolvente internacional.

Recorde-se que, em Portugal, existem cerca de uma centena de centros de competências, que empregam mais de 50 mil colaboradores.

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários