Empresas dinamarquesas interessadas em investir no Barreiro

Michael Suhr, embaixador da Dinamarca em Portugal, visitou os territórios da Baía do Tejo no Barreiro, Seixal e Almada no final da semana passada, evidenciando mais um sinal do interesse de empresas daquele país nórdico em investir na região.

As empresas dinamarquesas, com o gigante AP Moeller Maersk à cabeça, têm demonstrado interesse em investir no Barreiro, em particular no futuro terminal de contentores previsto  para aquela região do estuário do Tejo.

O interesse crescente de investidores da Dinamarca levou o embaixador daquele país em Portugal, Michael Suhr, a visitar, no final da semana passada, os territórios do Lisbon South Bay, terrenos dos antigos parques industriais da CUF (Barreiro), Quimigal (Seixal) e Lisnave (Almada) geridos pela Baía do Tejo, uma empresa detida pela ‘holding’ estatal Papública.

“Não é a primeira vez que o embaixador se desloca aos territórios Lisbon South Bay, nomeadamente ao Barreiro, uma vez que empresas dinamarquesas têm manifestado interesse no processo do futuro terminal de contentores de Lisboa que mantém perspetiva de se vir a desenvolver no Barreiro”, sublinha um comunicado da Baía do Tejo.

A comitiva dinamarquesa foi acompanhada por representantes dos três municípios que constituem o projeto Lisbon South Bay, Almada, Barreiro e Seixal, nomeadamente pelo edil barreirense, Carlos Humberto, e pela administração da Baía do Tejo.

O programa constou de uma visita aos territórios e aos ativos que constituem o projeto Arco Ribeirinho Sul/Lisbon South Bay (denominação para investidores e ações de captação de investimento no exterior) e incluiu visita o espaço designado para o projeto Water City, em Cacilhas, Almada, e aos parques empresariais da Baía do Tejo no Barreiro e no Seixal, onde, em conjunto laboram mais de 200 empresas.

A Baía do Tejo, empresa do universo Parpública, tem a seu cargo a gestão dos parques empresariais Baía do Tejo, localizados no Barreiro, Seixal e Estarreja, e assume a missão de promover e desenvolver a Estratégia Arco Ribeirinho Sul que, através de instrumentos de ordenamento e requalificação, tem como objetivo valorizar territórios dos concelhos do Barreiro, Seixal e Almada.

“Para além deste equipamento, cujo estudo de impacto ambiental se encontra em consulta pública, a visita pretendeu transmitir informação promocional sobre um conjunto alargado de ativos disponíveis nos Concelhos de Almada, Barreiro e Seixal. Deu-se igualmente nota das capacidades e potencial de atração de investimento e da capacidade de acolhimento de empresas de diferentes áreas e setores de investimento”, destaca o referido comunicado da Baía do Tejo.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários